Incêndio em vegetação chega próximo a casas de duas comunidades em Canindé, no interior do Ceará ~ Portal do Helvécio Martins

terça-feira, 1 de setembro de 2020

Incêndio em vegetação chega próximo a casas de duas comunidades em Canindé, no interior do Ceará

As chamas altas levaram muita fumaça às duas comunidades — Foto: Corpo de Bombeiros

Mato seco e fortes ventos contribuíram para as chamas se espalharem rapidamente nas localidades de Camarão e Reguengue. Não houve feridos.

Um incêndio atingiu uma área de vegetação próximo a duas comunidades situadas na zona rural do município de Canindé, no interior do Ceará, na noite desta terça-feira (1º). De acordo com os bombeiros, nenhuma casa foi prejudicada e não houve feridos, apesar das chamas altas e da grande presença de fumaça na área.

Segundo o tenente coronel Sousa Júnior, que esteve no combate ao fogo, o sinistro começou no fim da tarde na Comunidade Camarão, em um área de vegetação seca, o que contribuiu para se espalhar rapidamente e chegar à localidade de Reguengue. Uma guarnição da 6ª Companhia, com apoio da população, conseguiu controlar as chamas por volta de 20h30.


Foram utilizados cerca de 10 mil litros de água, além de bombas costais e soprovarredor. As causas do incêndio ainda serão averiguadas, embora os bombeiros suspeitem de ato criminoso.

Situação de emergência ambiental

No fim de julho deste ano, o governador Camilo Santana decretou estado de emergência ambiental para combate aos incêndios florestais. Esta é a primeira vez na história do Ceará que um decreto como esse é expedido no estado. Geralmente, a medida ocorre para outras adversidades, como escassez hídrica ou inundações. A medida está publicada no Diário Oficial e fica válida até janeiro de 2021.

Com a decisão, a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) pode contratar brigadistas ambientais para atuação nas 28 unidades de conservação estaduais. As previsões de períodos mais críticos se dão, normalmente, através de portarias do Ministério do Meio Ambiente (MMA) ou decretos federais.

Neste cenário, o decreto estadual potencializa ações estabelecidas em 16 de julho, em nível federal, em determinação que proíbe o uso do fogo em áreas rurais por um período de 120 dias. Em 2019, o decreto havia sido publicado no fim de agosto com duração de 60 dias. Neste ano, a medida foi decretada em julho, com o dobro do tempo


G1

0 comentários:

Postar um comentário