DR. HELVECIO FEITOSA: ESTUDO “RECOVERY” – USO DA DEXAMETASONA E REDUÇÃO DA MORTALIDADE POR COVID-19* ~ Portal do Helvécio Martins

quarta-feira, 17 de junho de 2020

DR. HELVECIO FEITOSA: ESTUDO “RECOVERY” – USO DA DEXAMETASONA E REDUÇÃO DA MORTALIDADE POR COVID-19*

A NOTICIA É MARAVILHOSA E O MUNDO INTEIRO VIVE ESSA ESPECTATIVA DA CURA CONTRA O CORONAVIRUS. ESSA NOTICIA CHEGA EM BOA HORA

POR DR. HELVÉCIO FEITOSA
*ESTUDO “RECOVERY” – USO DA DEXAMETASONA E REDUÇÃO DA MORTALIDADE POR COVID-19*
O estudo RECOVERY, realizado pela Universidade de Oxford, acaba de publicar os resultados preliminares (em 16/06/2020) de estudo randomizado e com grupo controle, que comparou o uso de dexametasona (grupo de estudo) versus o não uso (grupo controle). O estudo envolveu 175 hospital do Sistema Nacional de Saúde do Reino Unido. Um total de 2.104 pacientes foram randomizados (sorteados aleatoriamente) para receber 6mg de dexametasona uma vez ao dia (por via oral ou por injeção endovenosa), por dez dias. Os que receberam a medicação ao iniciar o estudo foram comparados com 4.321 pacientes randomizados para receberem os cuidados usuais (sem a medicação).

Como resultado, nos pacientes que receberam os cuidados usuais, a mortalidade em um período de 28 dias foi bem mais elevada no grupo que estava em ventilação mecânica (41%), sendo intermediária naqueles que necessitaram de oxigenação (25%) e mais baixa naqueles que não necessitaram de qualquer intervenção respiratória (13%). No grupo que usou a dexametasona, na dose de 6mg, por via oral ou por via endovenosa, uma vez ao dia, por 10 dias, observou-se: redução da mortalidade em 28 dias de 33,3% (um terço), nos pacientes com COVID-19 em ventilação mecânica. Houve também redução da mortalidade em 20% (um quinto), em 28 dias, nos pacientes necessitando de oxigênio e que não estavam em ventilação mecânica. Para os pacientes com quadro clínico mais leve, que não necessitavam de oxigênio, não houve diferença entre os grupos. Ao considerar todos os grupos, a dexametasona promoveu redução da mortalidade em 17%, sendo os maiores benefícios observados entre os pacientes mais graves, em ventilação mecânica.

À guisa de conclusão do estudo, todo paciente com COVID-19 em ventilação mecânica (em respiração artificial, na UTI) e os que necessitam de oxigênio fora da UTI devem receber dexametasona, por via oral ou endovenosa, 6mg uma vez ao dia, por 10 dias. Trata-se de medicação barata, facilmente disponível e de acesso universal. Estamos diante do primeiro tratamento farmacológico que mostrou impacto na redução da mortalidade em pacientes graves. “
Fortaleza, 17 de junho de 2020.
Helvécio Neves Feitosa.

0 comentários:

Postar um comentário