Demanda de pacientes de DIZ PREFEITO ROBERTO CLAUDIO: Covid-19 por respiradores em Fortaleza está em 27% do total de equipamentos. ~ Portal do Helvécio Martins

quarta-feira, 17 de junho de 2020

Demanda de pacientes de DIZ PREFEITO ROBERTO CLAUDIO: Covid-19 por respiradores em Fortaleza está em 27% do total de equipamentos.

Segundo Roberto Cláudio, este é o menor índice desde o início da pandemia, já sendo necessário o uso de todos os respiradores do município.


Do total de respiradores em funcionamento na rede municipal de saúde de Fortaleza, 27% estão ocupados por pacientes de maior gravidade de Covid-19, índice alcançado nesta terça-feira (16), até então o menor desde o início da pandemia. A informação foi dada em transmissão ao vivo pelo prefeito Roberto Cláudio na noite desta quarta-feira (17).


Segundo o gestor, houve um momento no começo do mês de maio em que praticamente todos os aparelhos disponibilizados pela prefeitura estavam em uso. "A gente já chegou a ter todos os respiradores, em algum momento, lá no começo do mês de maio, praticamente todos eles ocupados. Então há uma tendência de melhora, de procura de pacientes graves precisando de ventilação mecânica", apontou.


Fortaleza tem 209 ventiladores mecânicos administrados pela prefeitura, distribuídos entre o Instituto Dr. José Frota (IJF), Hospital de Campanha Presidente Vargas, Hospital da Mulher, Frotinha do Antônio Bezerra, unidades de pronto-atendimento (UPAs) e outros hospitais municipais.


Os índices da infecção pelo novo coronavírus, conforme mostrou o prefeito, vêm caindo nas últimas três semanas na capital. A tendência foi verificada no último boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), divulgado na sexta-feira (12).


Conforme o documento, a situação de pico contínuo de casos da Covid-19 ocorreu entre a semana epidemiológica 17 e 19, correspondente ao período de 19 de abril a 9 de maio. A maior média de diagnósticos aconteceu na semana 18, de 26 a 2 de abril, com 739 por dia.


Já entre as semanas 19 e 22, de 3 a 30 de maio, foi registrado o pico de incidência de mortes pelo vírus. A maior média de mortes, com até 81,7 óbitos diários, aconteceu nas semanas 19 e 20, de 3 a 15 de maio.


Na capital, o número de diagnosticados com o vírus é de 31.841 o maior do estado desde o início da pandemia. Fortaleza contabiliza ainda 3.059 óbitos, conforme a última atualização da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), na noite desta quarta.


O prefeito chamou atenção também para a diminuição do número de casos em médio da procura diária por postos de saúde a cada semana de pessoas com sintomas gripais, mostrando também uma diminuição.


"Antes de ser confirmado o caso laboratorialmente, ou mesmo óbito, a primeira tendência de piora é quando a gente passa a ter muito caso novo surgindo na primeira porta de entrada, que é o posto de saúde", explica, mostrando que uma eventual mudança na tendência de queda já poderia ser percebida caso a semana de transição para a retomada econômica na capital tivesse originado algum impacto negativo.


Apesar de comemorar a redução nos índices, Roberto Cláudio segue alertando para que a população mantenha os cuidados com o isolamento social para que não haja uma reversão nos números. "Isso não quer dizer que seja uma tendência definitiva. Felizmente a gente tem conseguido controlar, com uma tendência de melhoria dos indicadores e números ao longo das semanas, mesmo com esse primeiro processo de abertura, entretanto é importante que todo dia a gente monitore esses dados", coloca.

0 comentários:

Postar um comentário