CULTURA CEARENSE DE LUTO: 'Dama do Folclore Cearense', Elzenir Colares morre aos 85 anos ~ Portal do Helvécio Martins

sábado, 20 de junho de 2020

CULTURA CEARENSE DE LUTO: 'Dama do Folclore Cearense', Elzenir Colares morre aos 85 anos

Conhecida como 'Dama do Folclore Cearense', Elzenir Colares morreu na manhã deste sábado (20), aos 85 anos. Professora, pesquisadora, artista e folclorista, Elzenir deixa um legado à cultura da terra da luz após uma batalha de cinco anos contra o Alzheimer.
Conforme Irajá Alberto, irmão da pesquisadora, Elzenir deixará "uma lacuna muito grande". "Ela foi uma espécie de gênio da família. Ela era muito culta, tem várias formações, falava quatro idiomas. Foi muito estudiosa, sempre ficava em primeiro lugar”, relembra.
Formada em Letras Anglo-Saxônicas, a cearense se mudou para Madri, capital da Espanha, no fim da década de 1950 para estudar a língua e a literatura do país. Lá, cursou ainda Danças Espanholas e, ao voltar para Fortaleza, compôs o quadro docente da Casa de Cultura Hispânica. Nesse período, Elzenir fez parte da criação do Grupo Folclórico Hispano Brasileiro - GFHB (1966), o qual, nove anos depois, viria a se tornar o Grupo de Tradições Cearenses (GTC), que em 2020, completa 54 anos em atividade.

O pesquisador Gilmar de Carvalho pontuou a competência da folclorista nos 45 anos em que ela coordenou o coletivo. “Foi uma mulher determinada. Conseguiu sensibilizar muitos jovens e manteve, com destaque na mídia e na comunidade, seu Grupo de Tradições Cearenses”.

Conhecida como 'Dama do Folclore Cearense', Elzenir Colares morreu na manhã deste sábado (20), aos 85 anos. Professora, pesquisadora, artista e folclorista, Elzenir deixa um legado à cultura da terra da luz após uma batalha de cinco anos contra o Alzheimer.

Conforme Irajá Alberto, irmão da pesquisadora, Elzenir deixará "uma lacuna muito grande". "Ela foi uma espécie de gênio da família. Ela era muito culta, tem várias formações, falava quatro idiomas. Foi muito estudiosa, sempre ficava em primeiro lugar”, relembra.

Formada em Letras Anglo-Saxônicas, a cearense se mudou para Madri, capital da Espanha, no fim da década de 1950 para estudar a língua e a literatura do país. Lá, cursou ainda Danças Espanholas e, ao voltar para Fortaleza, compôsquadro docente da Casa de Cultura Hispânica.

Nesse período, Elzenir fez parte da criação do Grupo Folclórico Hispano Brasileiro - GFHB (1966), o qual, nove anos depois, viria a se tornar o Grupo de Tradições Cearenses (GTC), que em 2020, completa 54 anos em atividade.

O pesquisador Gilmar de Carvalho pontuou a competência da folclorista nos 45 anos em que ela coordenou o coletivo. “Foi uma mulher determinada. Conseguiu sensibilizar muitos jovens e manteve, com destaque na mídia e na comunidade, seu Grupo de Tradições Cearenses”.

0 comentários:

Postar um comentário