36% das pessoas que morreram por Covid-19 no Ceará tinham alguma comorbidade ~ Portal do Helvécio Martins

quinta-feira, 11 de junho de 2020

36% das pessoas que morreram por Covid-19 no Ceará tinham alguma comorbidade

Doenças cardiovasculares crônicas são a principal comorbidade registrada no Estado.


O Ceará já registrou 4.562 óbitos por Covid-19 até esta quinta-feira (11). Dessas pessoas, 36,54% tinha alguma comorbidade, como doenças cardiovasculares ou diabetes. Segundo dados da plataforma IntegraSUS, em Fortaleza, cidade com maior número de casos, a proporção chega a 40% dos óbitos sendo de pacientes com alguma doença prévia.


O Estado tem 73.560 casos confirmados de coronavírus. A letalidade da doença é de 6,35% e a média de óbitos por dia é de 58,49%. Entre às 14h53 de segunda-feira (1º) e às 19h27 desta terça-feira (2) aconteceram 300 novas mortes adicionadas aos dados da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa).


A comorbidade mais comum entre as pessoas que morreram com coronavírus é doença cardiovascular crônica. A patologia estava presente em 22,95% dos casos, correspondendo a 1.035 mortes. Em segundo lugar, diabetes mellitus foi registrada em 927 dos óbitos, cerca de 20,57%. Em seguida na lista de comorbidades, aparecem doenças neurológicas crônicas (3,05%), renais crônicas (2,89%) e pneumopatia crônica (1,56%).


Outro fator de risco é a idade avançada, visto que 29% das mortes acontecem em pessoas com 80 anos ou mais. A segunda faixa etária mais afetada é das pessoas com 75 a 79 anos. A recomendação para idosos ou pessoas com comorbidades é que procurem o sistema de saúde antes mesmo de sentirem falta de ar. Diagnóstico e tratamento precoce do vírus podem ser decisivos.


Conforme o Boletim Epidemiológico divulgado na noite desta quarta-feira (10), a taxa de mortalidade da Covid-19 teve um aumento para 46,8 óbitos por cada 100 mil habitantes no Ceará. Conforme os dados da semana anterior, a taxa era de 37,3 mortes para o mesmo contingente populacional. A nova marca do índice corresponde a um incremento de 25,3% entre as duas últimas semanas.


Caucaia chegou nesta quinta-feira a 210 óbitos pela doença. O município da Região Metropolitana de Fortaleza é o segundo com maior número de vítimas, contabilizando também 2.775 casos. A cidade vai começar a retomada econômica na próxima segunda-feira (15), com o fim do lockdown.


Já Sobral, na região Norte do Ceará, aparece com o segundo maior número de casos, já acumulando 3.600 diagnósticos positivos para o agente infeccioso. Lá foram identificadas 150 mortes.


Os outros municípios que já passaram de mil exames positivos para a doença são Maracanaú (2.558), Maranguape (1.097) – ambos na Região Metropolitana de Fortaleza, e Itapipoca (1.296), na região Norte.


G1

0 comentários:

Postar um comentário