quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Jovem que postou selfie debaixo de escombros de prédio em Fortaleza deixa hospital


Davi Sampaio sofreu ferimentos leves, recebeu atendimento em hospital particular e deixou unidade 24 horas depois. Ao menos duas pessoas morreram em desabamento e sete estão desaparecidas.


O estudante de arquitetura Davi Sampaio, que sobreviveu ao desabamento do edifício Andrea e postou uma selfie sob os escombros, deixou o hospital nesta quarta-feira (16). Ele deixou a unidade 24 horas após ser resgatado debaixo dos escombros. Ele estava acompanhado do pai e saiu sem falar com a imprensa.


Davi foi a oitava pessoa retirada com vida do entulho de prédio. No total, nove pessoas foram resgatadas vivas. Outras duas pessoas morreram, de acordo com o Corpo de Bombeiros. Nove pessoas seguem desaparecidas. O estudante sofreu apenas arranhões e passou por exames no hospital. De acordo com o pai de Davi, Paulo Martins, o filho estava dentro do apartamento, no primeiro andar, quando ouviu o barulho do prédio desabando. 

Ele deixou o apartamento correndo, apertou o botão do elevador, e em seguida correu em direção às escadas. Ele ficou preso em um espaço pequeno, onde ficava sentado. Ele fez uma selfie sorrindo e enviou aos familiares para tranquilizá-los. "Meu filho me ligou dizendo que estava indo para a faculdade e eu desejei tudo de bom para ele e disse que ele fosse com Deus. Só passou três minutos quando ele me ligou de volta dizendo que estava debaixo dos escombros. Eu não acreditei pelo impacto, pois eu tinha acabado de falar com ele. Pensei que era brincadeira, mas era verdade", relatou. 
Segundo Paulo Martins, o estudante pediu em ligação para que ele o salvasse. "Ele me ligou e disse: 'papai, ligue para os bombeiros e me salve'. Eu corri, peguei o carro e quando cheguei lá, já tinha polícia, bombeiros e a maior confusão do mundo", contou o morador do edifício. O pai do estudante havia saído de casa para sacar dinheiro em uma agência bancária para pagar o condomínio e a taxa extra da reforma, no momento em que o prédio desabou.


G1 Ceara

0 comentários:

Postar um comentário