segunda-feira, 20 de maio de 2019

CHACINA NO PARÁ: IML identifica vítimas de chacina em Belém; polícia investiga relação do crime com o tráfico







Crime aconteceu por volta de 16h de domingo (19), no bairro do Guamá. Segundo testemunhas, sete homens chegaram no bar atirando. Até o DJ que foi contratado para animar a festa foi morto com vários tiros. A Polícia Civil do Pará investiga uma suposta relação entre a chacina em que 11 pessoas foram mortas dentro de um bar no bairro do Guamá, em Belém, no último domingo (19), com o tráfico de drogas. 


Segundo testemunhas, sete homens chegaram ao local atirando. O Instituto Médico Legal (IML) já identificou 9 das 11 vítimas. Uma pessoa ficou ferida e está sob proteção policial. O crime aconteceu por volta das 16h. De acordo com as investigações, uma festa ocorria no local quando sete homens encapuzados chegaram em uma moto e três carros e dispararam contra as vítimas. Quase todas foram baleadas na cabeça.


  • Leandro Breno Tavares da Silva, de 21 anos
  • Márcio Rogério Silveira Assunção, de 37 anos
  • Sérgio dos Santos Oliveira, de 31 anos
  • Tereza Raquel da Silva Franco, de 33 anos
  • Samira Tavares Cavalcante, de 35 anos
  • Flávia Teles Farias da Silva, de 32 anos
  • Paulo Henrique Passos Ferreira (com idade não divulgada)
  • Meire Helen Sousa Fonseca (idade não divulgada)
Um vídeo feito logo após o massacre mostra as vítimas baleadas e caídas pelo estabelecimento, que tinha autorização para funcionar. O corpo de uma mulher estava estirado em cima do balcão do bar, há pessoas jogadas no chão, encostadas nas paredes, um homem aparece caído em cima de uma mesa e outro em um sofá. Há sangue espalhado por todo o espaço.
A Divisão de Homicídios da Polícia Civil investiga o crime e realiza buscas aos criminosos. Ninguém foi preso até o início da manhã desta segunda-feira (20).
Além da possível relação com o tráfico de drogas, a polícia também não descarta outras hipóteses para o crime, já que na semana passada três policiais militares foram assassinados em Belém.

G1

0 comentários:

Postar um comentário