Portal do Helvécio Martins

Portal do Helvécio Martins

Direto da Fonte.

Portal do Helvécio Martins

Direto da Fonte.

Portal do Helvécio Martins

Direto da Fonte.

Portal do Helvécio Martins

Direto da Fonte.

Portal do Helvécio Martins

Direto da Fonte.

Portal do Helvécio Martins

Direto da Fonte.

Portal do Helvécio Martins

Direto da Fonte.

Portal do Helvécio Martins

Direto da Fonte.

Portal do Helvécio Martins

Direto da Fonte.

Portal do Helvécio Martins

Direto da Fonte.

Portal do Helvécio Martins

Direto da Fonte.

Portal do Helvécio Martins

Direto da Fonte.

Portal do Helvécio Martins

Direto da Fonte.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

RISCOS PARA OS DIABETES: Entenda o porquê de a doença agravar casos de Covid-19

Doença presente no dia a dia de mais de 12 milhões de brasileiros, a diabetes aumenta o risco cardiovascular nos pacientes. Manutenção do tratamento é fundamental para controle

Uma das principais comorbidades que afetam pacientes com Covid-19, a diabetes é uma doença silenciosa que está no cotidiano de mais de 12 milhões de brasileiros, segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde 2019 (PNS). De acordo com a endocrinologista Luizianne Martins, pacientes com diabetes não possuem risco maior de contraírem o novo coronavírus (Sars-CoV-2), mas há maior chance de evoluírem para formas mais graves, que podem ocasionar o óbito. 

Isso ocorre porque a hiperglicemia (aumento da glicose no sangue) e o aumento de gordura induzem a um estado inflamatório no organismo, o que faz crescer o risco cardiovascular nesses indivíduos. “Os diabéticos que terão resultados piores se contraírem Covid-19 são aqueles com longa história de diabetes, mau controle glicêmico, obesidade, presença de complicações e, especialmente, os idosos acima dos 60 anos, independentemente do tipo de diabetes”, explica Luizianne. A especialista destaca que o risco de complicações pela Covid, caso os níveis de açúcar no sangue estejam controlados, é quase igual ao das pessoas sem diabetes. 

De acordo com a plataforma IntegraSus, pacientes com diabetes mellitus somam 25,98% dos óbitos por Covid-19 com comorbidades no Ceará. A doença é dividida em tipo 1, que representa cerca de 10% das ocorrências no Brasil e tende a se manifestar na infância ou adolescência, e a tipo 2, com 90% de incidência, e mais comum em pacientes adultos. No caso da tipo 2, que concentra um número maior de pacientes obesos, o risco cardiovascular aumenta. 

“Até o momento, não foi relatado o excesso de mortalidade por Covid-19 em pacientes jovens com diabetes mellitus tipo 1 em relação a indivíduos da população geral da mesma idade e sexo. Também não há dados avaliando o risco de gravidade e morte por Covid-19 em pacientes com diabetes tipo 1 de longa duração da doença sem comorbidades, obesidade ou com controle metabólico adequado”, comenta Luizianne. 

Pacientes com diabetes estão na fase 3 do Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19, elaborado pelo Ministério da Saúde.

Cuidados não podem cessar

A endocrinologista reforça que o acompanhamento médico precisa ser contínuo para os pacientes, além de manterem uma alimentação saudável, aliada a rotina de atividades físicas. “É fundamental fazer a monitorização das glicemias capilares mais frequentemente e manter o acompanhamento médico, objetivando o melhor controle glicêmico possível. No mercado já existem dispositivos implantáveis para o monitoramento contínuo da glicemia que facilitam o controle glicêmico.” 

Outra indicação é de que o álcool gel não pode ser utilizado para higienização dos dedos antes da punção com agulha para glicemia capilar, pois ele forma uma película que interfere na leitura do aparelho. Nesse caso, a higienização dos dedos deve ser feita com água e sabão, ou com a versão líquida do álcool 70%. “A higienização do aparelho também deverá ser feita com álcool a 70% e um lenço de papel, lembrando de proteger o orifício onde é inserida a fita, pois este não pode ser umedecido.”

Indicações

Luizianne detalha os cuidados que os pacientes devem manter. A frequência da monitorização das glicemias em casos de diabéticos com Covid não internados deve ser: 

  • Para os diabéticos tipo 2 que usavam medicação oral ou insulina, a monitorização deve ser feita sempre com aferição das glicemias antes do café, almoço e jantar e alternando os testes da glicemia pós-prandial, realizada duas horas após a refeição;
  • Para pessoas com diabetes tipo 1, realizar aferições glicêmicas antes das refeições principais e duas horas após elas;
  • Para gestantes com diabetes gestacional, realizar medições antes das refeições principais e após uma hora.
DN/PHM

REUNIÃO VIRTUAL COM GOVERNADORES: Saúde. Mais 230,7 milhões de doses de vacina serão entregues até julho

Ministro mostrou cronograma em reunião virtual com governadores

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, apresentou nesta quarta-feira (17) um cronograma em que prevê a distribuição de cerca de 230,7 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 até julho. O anúncio foi feito durante reunião virtual com governadores, informou a pasta.

Na programação apresentada, o ministro incluiu as negociações com os laboratórios União Química/Gamaleya e Precisa/Bharat Biotech, que podem garantir ao Brasil a chegada da vacina russa Sputnik V e da indiana Covaxin, respectivamente. A previsão, de acordo com a pasta, é que o contrato com os dois laboratórios seja assinado ainda nesta semana. Os dois imunizantes ainda não possuem pedido de uso emergencial aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“[No cronograma] listamos todos os laboratórios com os quais o ministério vem trabalhando, com instituições como o Butantan e a Fiocruz já com compras e contratos executados, com previsões de entrega perto de 300 milhões de doses. Com os demais laboratórios contratados, chegamos a 450 milhões de doses [de vacinas] no total", afirmou o ministro Pazuello.

As próximas entregas aos estados acontecem ainda em fevereiro: serão 2 milhões de doses da AstraZeneca/Fiocruz, importadas da Índia, e 9,3 milhões da Sinovac/Butantan, produzidas no Brasil. Em março, a pasta também aguarda a chegada de 18 milhões de doses da vacina do Butantan e mais 16,9 milhões da vacina da AstraZeneca.

A assessoria do Ministério da Saúde informou o seguinte cronograma sobre a entrega das vacinas no país:

Fundação Oswaldo Cruz (vacina AstraZeneca/Oxford)

Janeiro2 milhões (entregues)
Fevereiro2 milhões (importadas da Índia)
Março4 milhões (importadas da Índia) + 27,3 milhões (produção nacional com IFA importado)
Abril28,6 milhões (produção nacional com IFA importado)
Maio28,6 milhões (produção nacional com IFA importado)
Junho28,6 milhões (produção nacional com IFA importado)
Julho3 milhões (produção nacional com IFA importado)
Total (1º semestre)112,4 milhões de doses

A partir do segundo semestre, com a incorporação da tecnologia da produção da matéria-prima (IFA), a Fiocruz deverá entregar mais 110 milhões de doses, com produção 100% nacional.

Fundação Butantan (vacina Coronavac/Sinovac)

Janeiro8,7 milhões (entregues)
Fevereiro9,3 milhões
Março18,1 milhões
Abril15,9 milhões
Maio6 milhões
Junho6 milhões
Julho13,5 milhões
Total77,6 milhões de doses

Até setembro, serão entregues mais de 22,3 milhões de doses da Coronavac, totalizando os 100 milhões contratados pelo Ministério da Saúde.

Covax Facility

Março2,6 milhões (vacina importada da AstraZeneca/Oxford)
Até junho:8 milhões (vacina importada da AstraZeneca/Oxford)
Total:10,6 milhões de doses

União Química (vacina Sputnik V/Instituto Gamaleya/Rússia)

Março400 mil (importadas da Rússia)
Abril2 milhões (importadas da Rússia)
Maio7,6 milhões (importadas da Rússia)
Total10 milhões de doses

Com a incorporação da tecnologia da produção do IFA, a União Química deverá produzir, no Brasil, 8 milhões de doses por mês.

Precisa Medicamentos (vacina Covaxin/Barat Biotech/Índia)

Março8 milhões (importadas da Índia)
Abril8 milhões (importadas da Índia)
Maio4 milhões (importadas da Índia)
Total20 milhões de doses

*Matéria editada às 20h12 para inclusão da fala do ministro Eduardo Pazuello.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

ALERTA VERMELHO: Camilo determina toque de recolher, suspensão das aulas presenciais e pede aos cearenses para ajudar no combate a 2* onda do Covid-19

Dentre outras medidas, o Governo ainda determinou o fechamento de espaços públicos a partir das 17h

O governador Camilo Santana (PT) anunciou, nesta quarta-feira (17), toque de recolher das 22h às 5 horas em todo o Ceará. A decisão vale até o dia 28 de fevereiro. Outra medida é a suspensão das aulas presenciais em escolas e universidades públicas e privadas. E todos os espaços públicos fecharão às 17h. 

Todas as medidas valem a partir desta quinta-feira (18), com exceção das aulas - que voltam a ser exclusivamente remotas na sexta-feira (19).

O novo decreto de isolamento social estende algumas restrições definidas para o período de Carnaval, incluindo barreiras sanitárias nos municípios cearenses, com controle do transporte intermunicipal, e horário reduzido de atividades econômicas que não oferecem serviços considerados essenciais. Aos fins de semana, todo o comércio só poderá funcionar até as 17 horas.

Além disso, todo o funcionalismo público não essencial trabalhará de forma remota. E o Governo recomenda que o setor privado faça o mesmo. 

A decisão busca conter o avanço de casos do novo coronavírus no Estado, que tem causado alta nas taxas de ocupação em leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) voltados para pacientes com Covid-19. 

Veja as medidas definidas pelo Governo do Ceará

As ações valem até 28 de fevereiro

1 - Toque de recolher em todo o Ceará, todos os dias, das 22h às 5h;

2 - Comércio funcionará de segunda a sexta até as 20h. Depois deste horário, só funcionarão os que oferecem serviços essenciais;

3 - Aos fins de semana, restaurantes e estabelecimentos congêneres só poderão funcionar até 15h, e comércio, incluindo shoppings, até 17h;

4 - Espaços públicos serão fechados todos os dias a partir das 17h, com proibição de circulação;

5 - Suspensão das aulas presenciais nas escolas e universidades públicas e privadas a partir de sexta-feira (19). Atividade permanecerá apenas de forma remota;

6 - Barreiras sanitárias em Fortaleza, com fiscalização na saída e chegada do transporte intermunicipal; governador recomendará aos prefeitos dos municípios cearenses que façam o mesmo;

7 - Permissão de transporte intermunicipal, desde que haja fiscalização na entrada e na saída das cidades;

8 - Funcionalismo público atuará de forma remota, exceto as atividades essenciais;

9 - Recomendação para que o setor privado trabalhe de forma remota.

Situação preocupante

"São medidas duras, difíceis de serem tomadas, mas têm apenas um objetivo: proteger a vida do cearense", destacou Camilo durante o anúncio. Ele frisou que, em um mês, o número de pessoas com Covid-19 precisando de leito de UTI quase triplicou no Estado. O governador ainda destacou que a velocidade de transmissão do vírus é "exponencial" em Fortaleza e no Interior.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI exclusivos para Covid-19 no Ceará chegou a 87,63% nesta quarta. Quando considerados somente os leitos de UTI Adulto, o percentual chega a 90,19%. As informações são do IntegraSUS.

"No pico da pandemia, no ano passado, a demanda da UTI era da ordem de 29 pessoas por dia e só atingimos só 17 solicitações agora, no mês de fevereiro. Todos os indicadores vão na direção de que a gente atinge o pico e há possibilidade matemática e científica de que a gente possa ultrapassar o pico, o que nos preocupa. Estamos ampliando os leitos de enfermaria e de UTI, a fiscalização para evitar aglomeração e preservar a saúde das pessoas", explicou o prefeito Sarto Nogueira.

DN/phm

CORONAVAC: Governo compra mais 54 milhões de doses de vacina contra covid-19


      Cronograma de entregas de vacinas foi anunciado

O Ministério da Saúde informou nesta terça-feira (16), em Brasília, ter garantido mais 54 milhões de doses da vacina CoronaVac contra a covid-19. A pasta acrescentou ter assinado novo contrato com o Instituto Butantan, que desenvolve o imunizante em parceria com o laboratório Sinovac. 

A previsão, considerando os 46 milhões de doses já contratadas, é distribuir aos estados 100 milhões da vacina até setembro. 

Segundo o ministério, além da CoronaVac, o Brasil receberá mais 42,5 milhões de doses de vacinas fornecidas pelo Consórcio Covax Facility até dezembro. Também foram contratadas mais 222,4 milhões de doses de vacina contra covid-19 em produção pela Fundação Oswaldo Cruz, e parte desses imunizantes já começou a ser entregue mês passado. 

A previsão do Ministério da Saúde é assinar, nos próximos dias, contratos de compra com a União Química. Entre os meses de março e maio, o laboratório deve entregar dez milhões de doses da vacina Sputnik V. 

O ministério também espera contratar da Precisa Medicamentos mais 30 milhões de doses da Covaxin, também entre março a maio.

Cronograma de entregas

Consórcio Covax Facility 

Entregas de 42,5 milhões de doses: 

Março: 2,65 milhões de doses da AstraZeneca 

Até Junho: 7,95 milhões de doses da AstraZeneca  

O consórcio, coordenado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), funciona como um centro de distribuição internacional de vacinas. O Brasil receberá, ainda, aproximadamente mais 32 milhões de vacinas contra a covid-19 produzidas por laboratórios de sua escolha até o final do ano, conforme cronogramas estabelecidos exclusivamente por esse consórcio. 

Fundação Butantan – Corodonavac/Sinovac 

Entregas de 100 milhões de doses: 

Janeiro: 8,7 milhões - entregues 

Fevereiro: 9,3 milhões 

Março: 18,1 milhões 

Abril: 15,93 milhões 

Maio: 6,03 milhões 

Junho: 6,03 milhões 

Julho: 13,55 milhões 

Agosto:13,55 milhões 

Setembro: 8,8 milhões 

Fundação Oswaldo Cruz – Oxford/Astrazeneca 

Entregas de 222,4 milhões de doses: 

Janeiro: 2 milhões - entregues 

Fevereiro: 4 milhões 

Março: 20,7 milhões 

Abril: 27,3 milhões 

Maio: 28,6 milhões 

Junho: 28,6 milhões 

Julho: 1,2 milhões  

A partir da incorporação da tecnologia da produção do IFA (Insumo Farmacêutico Ativo), a Fiocruz deverá produzir e entregar mais 110 milhões de doses no segundo semestre de 2021.  

União Química - Sputnik V/Instituto Gamaleya 

Entrega de 10 milhões de doses (importadas da Rússia) – Previsão de assinatura de contrato esta semana.  

Março: 800 mil entregues 15 dias após a assinatura do contrato 

Abril: 2 milhões entregues 45 dias após a assinatura do contrato 

Maio: 7,6 milhões entregues 60 dias após a assinatura do contrato 

A partir da incorporação da tecnologia da produção do IFA, a União Química deverá passar a produzir mais oito milhões de doses por mês. 

Precisa Medicamentos – Covaxin/Bharat Biotech 

Entrega de 20 milhões de doses importadas da Índia – Previsão de assinatura de contrato esta semana. 

Março: 8 milhões - 4 milhões mais 4 milhões de doses entregues entre 20 e 30 dias após a assinatura do contrato 

Abril: 8 milhões - 4 milhões mais 4 milhões de doses entregues entre 45 e 60 dias após a assinatura do contrato 

Maio: 4 milhões entregues 70 dias após a assinatura do contrato

Edição: Kleber Sampaio

CADEIA NELE: Com ordem de Moraes, PF prende em flagrante deputado Daniel Silveira

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ordenou na noite de ontem (16) a prisão em flagrante por crime inafiançável do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), após o parlamentar ter divulgado um vídeo em que, segundo a própria decisão, “ataca frontalmente” os ministros da Corte.

“As manifestações do parlamentar Daniel Silveira, por meio das redes sociais, revelam-se gravíssimas, pois, não só atingem a honorabilidade e constituem ameaça ilegal à segurança dos Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), como se revestem de claro intuito visando a impedir o exercício da judicatura, notadamente a independência do Poder Judiciário e a manutenção do Estado Democrático de Direito”, escreveu Moraes em sua decisão.

O próprio parlamentar divulgou em sua conta no Twitter que a Polícia Federal (PF) se encontrava em sua casa, num post publicado às 23h06 da noite de terça-feira. “Polícia federal na minha casa neste exato momento com ordem de prisão expedida pelo ministro Alexandre de Moraes”, diz a publicação.

“Aos esquerdistas que estão comemorando, relaxem, tenho imunidade material. Só vou dormir fora de casa e provar para o Brasil quem são os ministros dessa suprema corte. Ser ‘preso’ sob estas circunstâncias, é motivo de orgulho”, publicou o deputado em seguida.

O mandado de prisão foi expedido por Moraes no âmbito de um inquérito que apura notícias falsas, calúnias e ameaças contra ministros do Supremo. Na decisão, o ministro determinou a prisão de Silveira “imediatamente e independentemente de horário”, procedimento incomum nesses casos.

Pela Constituição, a prisão em flagrante por crime inafiançável de qualquer deputado deve ser enviada em 24 horas para análise do plenário da Câmara, que deve decidir sobre a manutenção ou não da prisão. A liminar de Moraes deve ser analisada com urgência também pelo plenário do próprio STF. O mais provável é que isso ocorra já na sessão desta quarta-feira (17).

Vídeo

Num vídeo de cerca de 20 minutos divulgado ontem no canal Política Play, no YouTube, Silveira disse que os ministros do STF “não servem para p... nenhuma” e “defecam” na Constituição. O deputado também elogiou o Ato Institucional 5, no qual três ministros do STF foram cassados durante a ditadura militar. O parlamentar chamou a Constituição de 1988 de “porcaria”.

"Na minha opinião, vocês já deveriam ter sido destituídos do posto de vocês e uma nova nomeação convocada e feita de 11 novos ministros. Vocês nunca mereceram estar aí. E vários que já passaram também não mereceram. Vocês são intragáveis”, disse Silveira, que, além de Moraes, mencionou os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski. O único que Silveira disse respeitar foi Luiz Fux, atual presidente do Supremo.

“Eu também vou perseguir vocês. Eu não tenho medo de vagabundo, não tenho medo de traficante, não tenho medo de assassino, vou ter medo de 11? Que não servem para p... nenhuma para esse país ? Não, não vou ter. Só que eu sei muito bem com quem vocês andam, o que vocês fazem”, disse Silveira em outro trecho.

Para Moraes, as manifestações do deputado podem ser consideradas crimes contra a honra do Poder Judiciário e os ministros do Supremo, bem como podem violar a Lei de Segurança Nacional, na parte em que tipifica como crime “tentar impedir, com emprego de violência ou grave ameaça, o livre exercício de qualquer dos Poderes da União ou dos Estados”.

Moraes destacou outros trechos da LSN supostamente violados pelo deputado, incluindo os artigos 22, 23 e 26.

PSL

O PSL divulgou nota em que repudia as declarações de Silveira. O comunicado informa que a Executiva Nacional da legenda está tomando "todas as medidas jurídicas cabíveis" para afastar o deputado dos quadros partidários definitivamente.

"Os ataques, especialmente da maneira como foram feitos, são inaceitáveis. Esta atitude não pode e jamais será confundida com liberdade de expressão, uma conquista tão duramente obtida pelos brasileiros e que deve estar no cerne de todo o debate nacional", diz a nota assinada pelo presidente nacional do PSL, deputado Luciano Bivar (PE).

Edição: Juliana Andrade

Agência Brasil

sexta-feira, 29 de janeiro de 2021

CORONAVÍRUS (COVID-19): Primeiro paciente a usar capacete Elmo no HSJ recebe alta

Henrique Monteiro Sousa, de 49 anos, foi o primeiro paciente do Hospital São José (HSJ) a usar o capacete Elmo, equipamento de respiração artificial não invasivo utilizado em pessoas com quadro leve ou moderado de Covid-19. O aparelho foi fundamental para a melhora do quadro de saúde do empresário, que deu entrada na unidade hospitalar no dia 14 de janeiro e recebeu alta nesta quinta-feira (28).

Recuperado da doença, Henrique destacou a qualidade do atendimento que recebeu no São José e tirou uma foto ao lado dos profissionais que o acompanharam durante a internação. “Foi uma surpresa muito grande aqui no hospital. O atendimento espetacular, fora de série… A equipe de limpeza, técnicos, médicos, fisioterapeutas estão de parabéns, viu, porque o atendimento aqui é primeira”, avalia Sousa.

O HSJ recebeu 28 exemplares do capacete Elmo. Até o momento, seis pacientes já usaram o dispositivo. “Com o Elmo, a gente consegue reverter o desconforto respiratório e a hipoxemia, que é a baixa concentração de oxigênio no sangue. O capacete está sendo eficaz, inclusive, para prevenir a intubação”, explica o fisioterapeuta Cleiton Freitas, um dos profissionais responsáveis pelo atendimento do então paciente no HSJ.

PHM


sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

NÚMEROS DO CORONAVIRUS: Ceará passa de 360 mil casos de Covid-19 e acumula 10.320 óbitos pela doença

Estado já aplicou1.396.084 exames para detectar o novo coronavírus.

O Ceará registrou, até a tarde desta sexta-feira (22), 360.973 casos confirmados de Covid-19. Desde o início da pandemia, 10.320 pessoas já morreram em decorrência da doença. Foi registrado um óbito nas últimas 24 horas. As informações são do IntegraSUS, da Secretaria estadual da Saúde (Sesa), atualizado às 16h42.

Em todo o Estado, 281.911 pessoas recuperaram-se da enfermidade. Há ainda 37.564 casos suspeitos. Ao todo, 1.396.084 exames para detecção do novo coronavírus foram realizados e 1.133.184 casos foram notificados primeiro registro identificado no Ceará.

Média móvel de mortes e casos de Covid-19 no estado do Ceará

Fortaleza terá aplicativo para agendar vacina contra a Covid-19

Veja quem foram os primeiros vacinados nos municípios cearenses

Os municípios com maiores incidências de casos da doença, em números proporcionais a 100 mil habitantes, são registrados em Acarape (13.189,1), Frecheirinha (11.483,8), Crateús (9.169,6), Iracema (7.819,8) e Groaíras (7.372,6).

Já na Capital, a incidência da Covid-19 é de 3.482 casos a cada 100 mil habitantes. Fortaleza concentra os maiores números absolutos: 92.947 diagnósticos confirmados e 4.286 óbitos.

Na região norte do estado, Sobral registrou, desde o início da pandemia, 326 mortes em decorrência da Covid-19 e 13.945 diagnósticos positivos. A incidência é de 6.674,3.

Em Juazeiro do Norte, na região do Cariri, são 17.391 pessoas diagnosticadas com a doença e 325 óbitos, com incidência de 6.342,3 de casos a cada 100 mil habitantes. No Crato, na mesma região, a incidência é de 6.786,1, acumulando 8.966 casos confirmados e 116 mortes.

Região Metropolitana

A Região Metropolitana concentra o segundo maior número de óbitos em decorrência da Covid-19 no Estado, com 389 mortes em Caucaia. O município contabiliza 8.139 diagnósticos positivos da doença e incidência de 2.251,8.

O município de Maranguape registra 6.123 casos confirmados e 126 óbitos em decorrência da doença. A cidade possui incidência de 4.747,3. Em Maracanaú, a incidência de casos é de 3.950,7, com 9.003 pessoas infectadas e 267 óbitos.

A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 74,46%;

A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 49,39%;

A letalidade da doença no estado é de 2,9%;

Houve uma morte pela doença nas últimas 24 horas;

G1/PHM

PESQUISA DATAFOLHA: 40% reprovam governo Bolsonaro e 31% aprovam, aponta pesquisa

No levantamento anterior, de dezembro, 37% consideram governo ótimo ou bom e 31%, ruim ou péssimo. Para 42%, Bolsonaro deve sofrer impeachment; 53% são contra.

Levantamento do instituto Datafolha divulgado na tarde desta sexta-feira (22) pelo site do jornal "Folha de S.Paulo" informa que cresceu a reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro diminuiu a aprovação.

Em resumo, os resultados da pesquisa são os seguintes:

Ótimo/bom: 31%

Regular: 26%

Ruim/péssimo: 40%

Não sabe: 2%

A pesquisa ouviu 2.030 pessoas nestas quarta (20) e quinta (21) por telefone em razão das limitações motivadas pela pandemia de Covid-19. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

De acordo com o Datafolha, 40% dos entrevistados classificaram o governo como ruim ou péssimo — eram 32% no levantamento anterior, entre 8 e 10 de dezembro.

Os que consideravam o governo ótimo ou bom eram 37% e agora são 31% e os que julgavam regular eram 29% e agora são 26%, segundo o instituto.

Segundo o levantamento, 53% dos entrevistados rejeitam o impeachment de Bolsonaro e 42% são favoráveis.

O Datafolha aferiu o grau de confiança dos entrevistados em relação às declarações de Bolsonaro:

Nunca confiam: 41% (eram 37% na pesquisa anterior)

Às vezes confiam: 38% (eram 39%)

Sempre confiam: 19% (eram 21%)

Não sabem: 2% (eram 3%)

G1/PHM