Ads 468x60px

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

ACUSADO DO ASSASSINATO DE MAINHA: José Delano Diógenes morre em troca de tiros com a PM do Rio Grande do Norte em Russas

José Delano Diógenes, de 40 anos, morreu na manhã desta segunda-feira (16) em confronto com a Polícia Militar do Rio Grande do Norte, na cidade de Russas, no Ceará. A ação é resultado de uma perseguição policial iniciada no município de Mossoró (RN), onde ‘Delaninho’, como era conhecido, roubou um veículo.

Um foragido da justiça do Ceará suspeito de roubar uma ambulância de Baraúna na manhã desta segunda-feira (16), no Centro da cidade, morreu em troca de tiros com a polícia militar na divisa com o Estado do Ceará. Ele foi identificado como José Delânio Diógenes. 


Segundo a polícia, Delânio seguia na ambulância roubada quando se deparou com viaturas da PM de Baraúna e Russas, Ceará. Houve perseguição e troca de tiros. Foi apreendido uma pistola e um fuzil. 

Delânio, segundo a PM, chegou a ser socorrido para o hospital de Russas, mas não resistiu. 

O fugitivo era procurado não só no Ceará, mas também no Rio Grande do Norte e Piauí por crimes de pistolagem e homicídio.

Em 2014, Delânio foi preso na Praça de Alimentação do Mossoró West Shopping, enquanto assistia um jogo da Seleção Brasileira na Copa do Mundo. 
No RN, ele foi julgado em 2011, acusado de matar o presidente da Câmara Municipal de Alexandria, Sebastião Jácome de Oliveira. Ele teria recebido R$ 13 mil para matar a vítima. Deste crime, ele foi absolvido. 

O suspeito fugia do Ceará e estava em um veículo Voyage placa HIM 4274, de Tianguá-CE. No caminho, ele se deparou com a ambulância do município de Baraúna e decidiu roubar o veículo. O voyage foi deixado no local.


Histórico
Delano Diógenes estava foragido da Casa de Privação Provisória Professor José Jucá Neto (CPPL III), em Itaitinga, desde junho último. Na ocasião, 21 presos conseguiram escapar da penitenciária. Ele havia sido detido em junho de 2014 na praça de alimentação de um shopping, no Rio Grande do Norte, quando foi reconhecido por um policial cearense que estava à paisana no estabelecimento. Depois de ser preso, ele foi recambiado para o Ceará.

No mesmo ano, ele foi apontado como o assassino do pistoleiro Idelfonso Maia Cunha, o ‘Mainha’, morto a tiros em janeiro de 2011. Ainda assim, o ex-foragido era considerado líder de uma quadrilha atuante no tráfico de drogas, homicídios e ataques a bancos. ‘Delaninho’ respondia por homicídio, roubos e porte ilegal de arma.


Mossoró HOJE



0 comentários:

Postar um comentário