Ads 468x60px

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

QUINTO NO RANKING NACIONAL: Multas pelo não uso de cinto de segurança quase triplicam no CE





Há 20 anos, o uso do cinto de segurança passou a ser obrigatório no Brasil. Mas muitos motoristas e passageiros ainda ignoram a importância dele


Entrar no carro e colocar o cinto de segurança é um ato simples para evitar acidentes. O esquecimento ou mesmo a sensação de se sentir preso ao banco do carro seriam alguns dos motivos que estão resultando no aumento das infrações no Ceará. Segundo levantamento do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), as infrações pelo não uso do item de segurança em 2017 aumentaram quase três vezes mais do que em 2016, mesmo o ano ainda não concluído. Neste ano, já foram registradas 43.472 infrações contra veículos nas quais o condutor ou passageiro estavam sem o cinto. No ano anterior, as ocorrências foram apenas 11.633.

Há vinte anos, o uso do cinto de segurança passou a ser obrigatório no Brasil. Mas muitos motoristas e passageiros continuam ignorando a importância dele, inclusive para quem vai no banco de trás. O motorista Túlio Farias, 28, conta que ao entrar no carro e segurar no volante a primeira ação é de puxar o cinto. Apesar disso, o esquecimento é um problema que ainda interfere no dia a dia. "A gente tem que se preocupar com o trânsito, com o trabalho e com o celular. A correria acaba deixando a gente perdido com a segurança, mas sei dos riscos", conta o condutor.


Nos últimos cinco anos, a tendência do Ceará foi de aumento em relação a outros estados do País. A multa por dirigir sem cinto de segurança é uma infração grave. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o motorista enquadrado nessa irregularidade será punido com a perda de cinco pontos na carteira nacional de habilitação e deverá pagar uma multa no valor de R$ 195,23.


Justificativas
Segundo o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-CE), diferentes aspectos aumentaram as infrações no Estado. "São fatores variados, entre os quais pessoas que dirigem ser ter obtido a carteira de motorista; falta de hábito dos passageiros que são transportados no banco traseiro e motoristas habilitados que ainda não criaram o hábito de usar o cinto. As equipes de fiscalização do Detran e PRE sempre verificaram esse item na abordagem aos condutores.

Já a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), afirma que os dados são diferentes dos apresentados pelo Denatran. Ao longo do ano de 2016, foram registradas 35.231 infrações por não usar cinto de segurança. Neste ano, considerando levantamento até setembro, foram 31.800 autuações.

Em nota, o Detran-CE explicou que as informações levantadas são referentes aos órgãos e municípios vinculados ao Sistema Nacional de Trânsito (SNT) que por sua vez, inserem os dados no Registro Nacional de Infrações de Trânsito (Renainf). Os dados são retirados do Sistema Renainf, alimentadas pelos órgãos vinculados ao SNT, porém ainda existem municípios e órgãos que não estão integrados ao SNT, fazendo com que a informação dos órgãos não integrados não apareça nos relatórios do Detran-CE.

DN

0 comentários:

Postar um comentário