Ads 468x60px

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

CAMILO ASSINOU: Chineses negociam investimento de US$ 4 bilhões no setor de saúde do Ceará

O Governo do Ceará assinou um memorando de entendimento com uma empresa estatal chinesa e com o banco de desenvolvimento do pais asiático, o China Development Bank (CDB), para captar um investimento de US$ 4 bilhões no setor de saúde do estado. A destinação do investimento chinês seria em construções de hospitais públicos no Ceará, além de reformas em unidades já existentes e captação de equipamentos e medicamentos. Neste fim de semana, o governador do Ceará, Camilo Santana, viaja para a China. Entre os compromissos da agenda está uma reunião com representantes do CDB para tratar de investimentos para o estado.
A assinatura do memorando de entendimento entre o governo e os chineses servem como um acordo oficial em que as partes manifestam interesse no negócio. No entanto, ele ainda não tem a validade de um contrato, que seria o próximo passo da negociação ainda em andamento. O cronograma das obras e as condições de retorno para o investimento não foram definidos. A empresa habilitada para viabilizar os investimentos é a Meheco Corporation, estatal chinesa da área de tecnologia na área da saúde. Fundada em 1984, a empresa tem 10 mil empregados em todo o mundo. Roberto Jiao, gerente de projetos da Meheco, diz que a empresa está buscando contatos neste ano para fazer investimentos em diversos estados brasileiros, sendo o Ceará o primeiro a assinar o memorando de entendimento. Segundo o governo cearense, os financiamentos e parcerias atingiriam não apenas a saúde pública do estado, mas também obras no setor privado do Ceará. Um dos focos é o Polo Industrial e Tecnológico da Saúde (PITS), que terá como âncora a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).                                                                                                                  Mais estados e governo federalEm entrevista por telefone os executivos chineses da Meheco disseram, em Pequim, que procuram outros estados para realizar o mesmo tipo de parceria na área da saúde. Jiao indica ainda que a empresa também mira parcerias com o governo federal. “Vamos focar em outros estados, como Amazonas e Minas Gerais. Temos um grande interesse nos estados, e também [parcerias com o governo] federal”.
“Futuramente, vamos procurar mais estados”, complementa a representante da empresa no Brasil, Wang Shu Wei. “A Meheco está querendo levar para o governo do Brasil um grande projeto na área da saúde.”

O mercado brasileiro

Segundo Jiao, o Brasil é primeiro grande mercado da América do Sul a iniciar negociações de investimentos com estatal chinesa. “Nossa empresa faz negócios com vários países do mundo, como África do Sul, Cuba, Venezuela, Equador. Mas o Brasil é o primeiro país grande da América do Sul, para nós é um mercado importante. Por isso, agora estamos focando muito nesse mercado, queremos fazer muitos negócios e desenvolver o sistema de saúde para o governo do Brasil.” Questionada sobre a razão de procurar estados brasileiros para investimentos bem na esteira da maior crise econômica já registrada no país – e que atingiu fortemente a situação fiscal dos governos locais –, Wei indica que vê potencial na recuperação da economia. “Pela minha visão, e eu fiquei trinta anos no Brasil, a economia e os negócios do país têm um futuro muito grande”, afirma. “Para a China, o Brasil é um país muito importante. E vai ter bastante negócio entre esses dois países. Essa é a minha função”, diz Wang Shu Wei.
G1 Ceara

0 comentários:

Postar um comentário