Ads 468x60px

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

ASSASSINOS: Acusados de matar empresário no Ceará serão julgados por júri popular

Empresário foi assassinado pela ex-mulher e o namorado dela. Antônio Rivadávio morava com as duas filhas menores no bairro Vila União.

Os dois respondem por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima) com concurso de pessoas e agravante de ter sido cometido contra o marido da ré.

Na decisão, o juiz afirma que “não se vislumbra qualquer circunstância de dúvida. Tampouco se antevê, sem sombra de dúvidas, circunstâncias excludentes da culpabilidade. Destarte, nestas condições, os acusados devem ser submetidos a julgamento perante o Tribunal do Júri”. O juiz negou pedido da defesa dos acusados para que eles aguardassem o julgamento em liberdade.

O crime
O corpo do empresário Antônio Rivadávio Teixeira Moreira foi encontrado pela empregada no apartamento onde ele morava, no Bairro Vila União, com uma faca cravada no peito, na manhã do dia 28 de março de 2015. No dia 9 de abril, a polícia prendeu a ex-mulher do empresário, Claudenia da Silva Rodrigues, e o namorado Thiago de Almeida Gomes, de 24 anos.

Claudenia da Silva Rodrigues e o namorado, Thiago de Almeida Gomes, vão a júri popular pelo assassinato do empresário Antônio Rivadávio Teixeira Moreira, ex-marido de Claudenia. A sentença de pronúncia foi proferida nesta quinta-feira (9), pelo juiz  Antônio Carlos Pinheiro Klein Filho, titular da 4ª Vara do Júri da Comarca de Fortaleza.
O empresário Antônio Rivadávio Teixeira Moreira, de 51 anos, foi assassinado no dia 28 de março de 2015  em sua casa no Bairro Vila União, em Fortaleza. Ele era proprietário de uma empresa especializada no manejo e controle de insetos e morava com as duas filhas menores em um apartamento na Avenida Luciano Carneiro.
De acordo com a denúncia, foi constatado por meio de imagens gravadas por câmeras de segurança que Claudenia da Silva, ex-mulher do empresário, e o namorado, Thiago de Almeida, seguiram juntos, em veículos diferentes, para a casa do empresário. Eles entraram e saíram da casa no mesmo horário do crime, com "diferença mínima de tempo", o que indica conivência na execução do homicídio, segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Publico do Ceará.
De acordo com as investigações da polícia, a ex-mulher foi ao apartamento pegar as duas filhas pequenas, como sempre fazia aos sábados, e deixou a porta semiaberta para o namorado entrar e matar o empresário. As câmeras de segurança do condomínio mostram que após a saída da ex-mulher de Rivadávio e de duas filhas pequenas, um homem em uma motocicleta também sai do local.  Segundo a polícia, foram encontradas marcas de botas dentro do apartamento, compatíveis com o calçado usado pelo homem visto nas imagens.
Portal do Helvecio

0 comentários:

Postar um comentário