Ads 468x60px

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

BANCO DO BRASIL E BNB: Agências começam a ser fechadas em fevereiro


O ano começa com menos canais de atendimento aos clientes do Banco do Brasil (BB) e do Banco do Nordeste (BNB). Com os programas de reestruturação anunciados pelas instituições, os cearenses terão nove agências bancárias a menos, sendo cinco do BB e quatro do BNB, quase todas localizadas na Capital. O número pode ser ainda maior caso outras instituições, como Caixa Econômica e Bradesco, por exemplo, sigam a tendência.

O Banco do Brasil já havia fechado duas unidades de Fortaleza no ano passado (no Ministério da Saúde e da Fazenda), antes do anúncio do corte, quando foi apresentado o plano de reestruturação do banco. Outras cinco agências tem previsão para funcionar até o dia 10 de fevereiro deste ano - localizadas no Aeroporto Pinto Martins, Dnocs, Lagoa de Messejana e Av. Santos Dumont - exceto da Av. Monsenhor Tabosa, que deverá manter o funcionamento da sala da autoatendimento até o dia 28 de fevereiro deste ano.

Em novembro, o BB anunciou o programa de reestruturação, que culminaria no fechamento de 402 agências bancárias no País, sendo cinco em Fortaleza, além da transformação de outras 379 em postos de atendimento, das quais três então no Estado (no Fórum Clóvis Beviláqua, na Assembleia Legislativa e no município Novo Oriente). Na semana passada, o Banco do Nordeste anunciou o fechamento de 19 agências no País, sendo quatro no Ceará. Duas ficam em Fortaleza, as do BNB Clube e da Avenida Santos Dumont, uma em Juazeiro do Norte (Lagoa Seca) e uma em Sobral (Domingos Olímpio). No caso desses dois últimos municípios cearenses, cada um tinha duas agências da instituição - serão fechadas as mais recentes.

Preocupação
O cenário é visto com preocupação. De acordo com Jannayna Lima, diretora do Sindicato dos Bancários do Ceará (Seeb/CE) "o Banco do Brasil foi um tubo de ensaio para o desmonte de todo o sistema bancário" público. "Esses programas de demissão voluntária (PDV) são uma coisa que a gente não via no sistema bancário há 20 anos. Para a população, é uma perda de acesso a agentes bancários e, para o funcionário, é uma total falta de respeito", aponta.
Segundo a diretora, as agências da Av Monsenhor Tabosa, da Av Santos Dumont, da Lagoa da Messejana e do Dnocs, que devem ser fechadas no dia 11 de fevereiro, estão em situação mais complicada. "Ainda falta um mês para elas serem realmente fechadas e não tem mais número suficiente de funcionários para fazer o atendimento", diz.

Ela conta que, na última terça-feira (17), os funcionários da agência Santos Dumont paralisaram as atividades em protesto. "De 14 funcionários, encontramos apenas quatro, nenhum com nível gerencial para poder despachar algumas operações", explica a diretora, ressaltando que a situação gera um mau atendimento para o cliente, estresse para os funcionários e expõe o banco a multas por não realizar o atendimento em 15 minutos.

Caráter público
Além do mal estar causado para os funcionários, Jannayna aponta ainda que o Banco do Brasil tem caráter público e é responsável pelo gerenciamento de cerca de 60% do crédito rural, cujos clientes poderão ser prejudicados com a falta de acesso ao agente bancário. "A única certeza que temos é a incerteza de como vai ficar. Porque antes o banco tinha um espírito público, mas, hoje, a gente não sabe mais como ele se portará", lamenta.

A situação também é ressaltada por Rita Josina, diretora-presidente da Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste (AFBNB). Ele afirma que os funcionários receberam a notícia com surpresa e preocupação, principalmente porque, devido o caráter de desenvolvimento regional, o banco deveria estar ampliando o número de agências e não o contrário. "Sem isso, é insuficiente para lutar contra a desigualdade regional", pontua.

Segundo Rita, a decisão é contraproducente à medida que houve um planejamento para instalar essas agências, custos de logística, locação e mobilidade de funcionários a outros estados com a família para assumir cargos que, agora, não sabem o que fazer. "São agências que foram instaladas há pouco mais de um ano e que agora estão sendo fechadas", lamenta a diretora.

Mobilizações
No caso do Banco do Brasil, Jannayna afirma que há um movimento nacional dedicado a parar a reestruturação, para tornar o banco essencialmente digital. "Muitas pessoas ainda não tem essa capacidade de lidar com a tecnologia", pontua a diretora. A bandeira também será defendida pela AFBNB que, segundo Rita. "Nossa ideia é mobilizar a bancada federal, fazer audiências, entre outras ações, para que possamos reverter essa medida", aponta.

Respostas
Em nota à reportagem, o Banco do Brasil afirmou que realizou um estudo, para mensurar a eficiência das estruturas e verificar sua adequação ao plano de negócios e às tendências de mercado. "A reorganização institucional faz parte de um planejamento estratégico para aumento de rentabilidade e adequação no cenário atual", ressaltou a nota.

O BB enfatiza ainda que, ainda neste ano, será implantada mais 255 unidades de atendimento digital, entre escritórios e agências digitais, que irão se somar às 245 já existentes. A medida é vista pela instituição como estratégia para a ampliação do atendimento por canais digitais.

O Banco do Nordeste também enviou uma nota à reportagem justificando o fechamento das agências, como uma medida de alinhamento às demandas e desafios apresentados pelos clientes, investidores e sociedade. "Ocorrem como resposta a um cenário cada vez mais desafiador, no qual se exige a melhoria contínua da produtividade e da eficiência das instituições", destacou o comunicado.

O BNB ressalta ainda que o atendimento aos clientes será preservado, "com o fortalecimento das demais unidades de cada praça com a redistribuição das equipes das unidades que forem desmobilizadas", conclui.

No fim de novembro último, o presidente do banco Bradesco, Luis Carlos Trabuco, admitiu que a instituição poderá fechar agências e transferi-las para postos de atendimento menores nos próximos meses.

Já o presidente da Caixa, Gilberto Occhi, disse na mesma época que 100 agências no País que não têm apresentado resultados satisfatórios podem ser "revistas", mas ressaltou que fechamento será a última opção.



Unidades
Agência BB 3647-1
Av. Santos Dumont,2088, Térreo - Bairro Aldeota
Agência BB 5049-0
Rua Dr. Pergentino Maia, 535 - Messejana
Agência BB 3471-1
Av. Monsenhor Tabosa, 634 - Praia de Iracema
Agência BB 4440-7 (Dnocs)
Av. Duque de Caxias, 1700 - Centro
Agência BB 4465-2 (Aeroporto)
Av. Senador Carlos Jereissati,3000 - Serrinha
Agência BNB 299-2 (BNB Clube)
Av. Santos Dumont, 3646 - Aldeota
Agência BNB 263-1
Av. Santos Dumont, 771 - Aldeota
Agência BNB 297-6 (Juazeiro)
Rua José de Matos França, 690, Lagoa Seca - Juazeiro do Norte (CE)
Agência BNB 234-8 (Sobral)
Rua Domingos Olímpio, 283, loja 3, Centro - Sobral (CE)

Portal do Helvecio

0 comentários:

Postar um comentário