Ads 468x60px

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Prefeito Roberto Cláudio e governador Camilo Santana entregam 2.032 residências do Minha Casa, Minha Vida

Famílias foram contempladas com moradias do Residencial Alameda das Palmeiras, no Bairro Ancuri (Regional VI)

O prefeito Roberto Cláudio e o governador Camilo Santana entregaram, na manhã desta segunda-feira (12/12), as chaves da casa para 2.032 famílias que foram contempladas no Programa Minha Casa Minha Vida com moradias do Residencial Alameda das Palmeiras, no Bairro Ancuri, na Regional VI.

A entrega das unidades concretizou o desejo, muitas vezes de uma vida inteira, de milhares de fortalezenses, como explicou o gestor municipal. “A Prefeitura, em parceria com o Governo do Estado e o Governo Federal, tem muita satisfação em possibilitar que mais de duas mil famílias recebam a casa própria e realizem esse sonho em definitivo. Muitas são avós que nunca tiveram, ao longo de 70 anos de vida, o direito a uma casa própria e que, agora, vão compartilhar esse espaço. Não há na área pública momento que traga maior satisfação para o administrador do que entregar o direito básico, fundamental e transformador de destinos como o da casa própria”, disse o prefeito Roberto Cláudio.

Cada unidade habitacional mede 44,48 m² e é composta por uma sala, dois quartos, uma cozinha e um banheiro. O empreendimento conta com área de lazer para crianças, salões para festas, quadras esportivas e academia da terceira idade.

De acordo com o governador Camilo Santana, a entrega das chaves é fruto de muitos esforços, sendo mais do que simples moradias. “Fortaleza e o Ceará tem crescido no Programa Minha Casa, Minha Vida, sendo umas das capitais que mais recebem esse investimento, fruto de contrapartida da Prefeitura e do Governo do Estado. Neste momento, realizamos o sonho de homens, mulheres. Famílias que saem do aluguel e que têm, agora, um teto digno para morar, de qualidade. Há a preocupação com o atendimento social das famílias, dos equipamentos que serão implantados para garantir uma vida digna na saúde, na educação e também de transporte para comunidade”, declarou o governador.

Todas as famílias receberam os apartamentos via sorteio público, modalidade escolhida por ser mais democrática, possibilitando maior justiça e implementação de critérios que beneficiam primeiramente os que mais precisam. “Para se ter ideia, mais de 80% das pessoas que receberam este empreendimento são mulheres, sendo algo extraordinário, por serem elas as chefes de famílias e também as que tendem a melhor zelar por eles”, afirmou o titular da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor), Gilvan Paiva.

A entrega desta segunda-feira foi a primeira etapa do Conjunto Alameda das Palmeiras. Até março de 2017, serão mais de 2.600 novas entregas, tornando o novo bairro um dos maiores da cidade, onde morarão aproximadamente 25 mil pessoas.

A expectativa é que até 2018 sejam entregues entre 30 mil casas do Programa Minha Casa, Minha Vida em Fortaleza, sendo o maior investimento em política habitacional da história da cidade.

Aluguel Social

Dentre os beneficiados do residencial Alameda das Palmeiras, estão 22 famílias assistidas pelo programa de Aluguel Social, gerido pela Coordenadoria Especial de Proteção e Defesa Civil de Fortaleza. De acordo com o coordenador de Proteção e Defesa Civil de Fortaleza, Cristiano Ferrer, mais de 150 famílias já foram contempladas. “Hoje é a segunda etapa do primeiro sorteio da modalidade empregada pela Prefeitura para entrega de moradias. Na primeira etapa, mais de 130 famílias receberam suas moradias no complexo residencial dos Escritores”, explicou Ferrer.
De acordo a responsável pela Célula de Vulnerabilidade Social da Defesa Civil, Elisângela Medeiros, os principais critérios usados para a inclusão dessas famílias foram a condições de risco delas, bem como o tempo de cadastro no Aluguel Social. “Para o ingresso no programa, fazemos todo um trabalho de acolhimento, pelo qual identificamos a situação de cada um e as suas principais necessidades. Com isso, damos os encaminhamentos certos dentro da rede de atenção do município. As famílias contempladas hoje estão nos cadastros desde 2010 e 2011”, explicou Elisângela.
Portal do Helvecio

0 comentários:

Postar um comentário