Ads 468x60px

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

CONCURSO PÚBLICO: Ministério da Saúde oferece 102 vagas


O concurso visa preencher 102 vagas em cargos de nível superior para exercício e lotação nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas que compõem a Secretaria Especial de Saúde Indígena.
Foi divulgado o edital do novo concurso público do Ministério da Saúde. A seleção tem o objetivo de preencher 102 vagas de nível superior, sendo 21 destinadas a candidatos que se declararem negros e seis a pessoas com deficiência. Também haverá formação de cadastro reserva.

Do total de oportunidades, 34 são para o posto de administrador (remuneração de R$ 4.784,27), 34 para analista técnico de políticas sociais (R$ 5.744,88) e 34 para contador (R$ 4.784,27). Além do salário, os contratados terão direito a auxílio-alimentação de R$ 458.

Os cargos de administrador e contador exigem diploma em Administração e Ciências Contábeis. Os candidatos a analista técnico de políticas sociais podem ter formação em qualquer área de nível superior.

As chances estão distribuídas entre 18 Estados brasileiros. Há oferta em Alagoas, Pará, Acre, Amazonas, Amapá, Mato Grosso, Bahia, Maranhão, Ceará, Santa Catarina, Roraima, Rondônia, Paraná, Minas Gerais, Pernambuco, Paraíba, Tocantins e Mato Grosso do Sul. Os aprovados irão atuar nos 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI).

No Ceará
Estão em disputa três vagas para Fortaleza: uma para cada cargo. Para analista técnico e contador, as chances são para concorrência ampla. Para administrador, a oferta é para candidatos negros.

Como participar
Quem organiza o concurso é o Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional (Idecan).

A banca recebe inscrições exclusivamente pela internet (www.Idecan.Org.Br), entre 5 de dezembro e 5 de janeiro. A taxa de participação custa R$ 67.

Os candidatos inscritos no concurso serão avaliados, em 19 de fevereiro, por meio de provas objetiva, com questões de múltipla escolha sobre língua portuguesa (5), raciocínio lógico (5), conhecimentos gerais (15) e conhecimentos específicos (25), e discursiva, que cobrará a elaboração de um estudo de caso. Para analista técnico de políticas sociais, a seleção prevê, também, análise de títulos, em período a ser oportunamente divulgado.

As fases do processo seletivo ocorrerão nas capitais dos 26 estados, além do Distrito Federal. Ao se inscrever, os candidatos deverão escolher a cidade de sua preferência.
A validade do concurso será de um ano, prorrogável por mais um, a critério do Ministério da Saúde, conforme estabelece o edital.

Último concurso
Em 2013, o Ministério da Saúde abriu 265 vagas de nível superior. As ofertas foram para os cargos de analista técnico administrativo (16); administrador (224); bibliotecário (3); contador (7); economista (9); e engenheiro civil (3) e eletricista (3).

O concurso foi organizado pelo Cespe/UnB e registrou um total de 18.959 inscrições.
Únicas etapas de avaliação, as provas objetiva e discursiva foram realizadas no dia 7 de julho de 2013. O teste de múltipla escolha contou com questões de língua portuguesa, noções de informática, Sistema Único de Saúde (SUS), ética no serviço público, raciocínio lógico e conhecimentos específicos.

Cargo de analista técnico de políticas sociais
É de responsabilidade do analista técnico de políticas sociais executar atividades de assistência técnica em projetos e programas nas áreas de saúde, bem como verificar, acompanhar e supervisionar os processos inerentes ao Sistema Único de Saúde e aos demais programas sociais do governo federal. Aferir os resultados da assistência à saúde, considerando os planos e objetivos definidos no SUS e demais políticas sociais. Proceder à análise e avaliação dos dados obtidos, gerando informações que contribuam para o planejamento e o aperfeiçoamento das ações e políticas sociais. Apoiar e subsidiar as atividades de controle e de auditoria e colaborar na definição de estratégias de execução das atividades, sob o aspecto da melhoria contínua e aperfeiçoamento das políticas sociais.

Portal do Helvecio

0 comentários:

Postar um comentário