Ads 468x60px

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

MORTE DO POLICIAL CIVIL: Viúva, amante e pistoleiros são presos em Senador Pompeu.

Quatro pessoas acusadas de participar e arquitetar a morte do policial civil José Cláudio Nogueira, 51 anos, foram presas na manhã desta quinta-feira (17), neste Município do Sertão Central. Entre os detidos está Michele Arruda Nogueira, esposa do policial. Durante as investigações a Polícia descobriu que Micheli teria planejado o crime com a ajuda de um amante, que também foi preso.
De acordo com a Polícia os acusados estavam em casa quando foram detidos. Além de Michele e o amante, as equipes também prenderam dois homens que são apontados como os executores de Cláudio. Um deles é primo do amante da viúva e teria sido contratado para assassinar a vítima. O outro já cumpria pena em regime semi aberto e teve nesta manhã seu regime convertido pelo juiz da Comarca do Município. Ele é autor de vários outros crimes na região.
De acordo com o delegado titular da Delegacia Regional de Polícia Civil (DRPC) de Senador Pompeu, Jéferson Lopes Custódio, a esposa de Cláudio confessou o crime e disse ter sido auxiliada pelo amante. “Ela não deu maiores detalhes mas afirmou que recebeu a ajuda amante. No dia do crime, há suspeitas de que ela estivesse dando as coordenadas para os executores”, disse o delegado. A mulher disse ter sido convencida a matar o esposo para poder ficar com bens e uma herança que Cláudio tinha. “Ele criava cabeças de gado e tinha um cavalo de raça que foi encontrado durante as buscas na casa do amante de Micheli”, falou Jéferson.
Michele Arruda Nogueira foi levada no final da manhã desta quinta para a Delegacia de Solonópole, onde foi ouvida junto com um dos executores. Os outros dois envolvidos devem ser ouvidos até o final da tarde desta quinta. Conforme Jéferson Custódio todos os envolvidos seriam de Senador Pompeu. O delegado ainda está avaliando se ele serão levados para a Capital ou se irão ficar detidos na Delegacia da cidade.
Relembre o caso
O policia foi morto a tiros na madrugada do dia 20 de agosto, quando se dirigiam para a localidade de Inhazé, zona rural de Senador Pompeu, onde moravam. José Cláudio Nogueira, foi atingido por sete tiros. No inquérito que concluiu, a Polícia descobriu que Cláudio dormia no momento em que foi morto.

A esposa dele dirigia o veículo e Cláudio seguia viagem no banco do carona. Na época, em depoimento à Polícia, Micheli afirmou que foi abordada por dois homens em uma moto que passaram a disparar contra Cláudio. A vítima estava afastada e disputava a eleição de vereador no município de Quixeramobim.
DN

0 comentários:

Postar um comentário