Ads 468x60px

domingo, 16 de outubro de 2016

APELANDO: Justiça determina retirada de propagandas contra Roberto Cláudio com multa de 50 mil

A Justiça Eleitoral anunciou neste domingo (16), decisão da liminar que indica a retirada de propagandas da candidatura de Capitão Wagner (PR), à Prefeitura de Fortaleza, contendo informações onde há intenção de macular a imagem do prefeito Roberto Cláudio (PDT), candidato à reeleição. 

Segundo conteúdo da ação, a defesa da candidatura de Roberto Cláudio alegava que "a Coligação do candidato Wagner Sousa lançou mão de estratégia rasteira em sua propaganda de TV e rádio, com ofensas pessoais, mentiras e informações que geram na população estados mentais negativos, tudo na tentativa de descredibilizar o prefeito Roberto Cláudio perante o eleitorado". 

PT 

Ainda conforme a ação, a propaganda associou Roberto Cláudio ao escândalo do "Mensalão", tentando vincular o candidato à reeleição ao esquema de corrupção envolvendo o Partido dos Trabalhadores (PT). A candidatura do PT à Prefeitura, com a exprefeita Luizianne Lins à frente da chapa, levou 15% dos votos válidos no primeiro turno. Na propaganda do candidato do PR, ele diz que uma revista nacional teria informado que pessoas que trabalham para a Prefeitura estariam repassando dinheiro para a campanha do atual mandatário da Capital cearense em uma espécie de "Mensalão". 

Multa 

A decisão, avaliada pelo juiz Francisco Jaime Medeiros Neto, determina a aplicação de multa de R$ 50 mil, por cada veiculação, em quaisquer meios de comunicação, das propagandas em juízo. Durante 48 horas, cabe recurso à representação da coligação do candidato Capitão Wagner. 

Material de campanha Faltando duas semanas para a votação do segundo turno das eleições municipais, um adesivo com uma hashtag controversa provocou mais um round na guerra jurídica entre as campanhas eleitorais do prefeito Roberto Cláudio (PDT) e o Capitão Wagner (PR). 

A campanha do Capitão Wagner (PR) denunciou a distribuição do material em vias do bairro Conjunto Ceará, responsabilizando um coordenador de atividades da Rede Cuca (Centro Urbano de Cultura, Arte, Ciência e Esporte) de cometer "injúria eleitoral".

 "O adesivo é ofensivo, criminoso. Vamos entrar, nesta segunda­feira (17), com uma representação na Justiça Eleitoral, pedindo aplicação de multa, busca e apreensão do material e instauração de processo", disse o advogado da campanha de Capitão Wagner, Vicente Aquino. 

Ele disse que tomou conhecimento da distribuição dos adesivos no bairro e que acionou a Polícia Civil, denunciando o caso. O responsável pela distribuição dos adesivos foi levado pelos policiais civis até a sede da Polícia Federal para prestar esclarecimentos sobre o material a uma delegada de plantão. 

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da PF não prestou informações oficiais sobre o caso. A assessoria de imprensa da Prefeitura de Fortaleza não se  manifestou, pois não foi oficialmente notificada sobre a história

Fonte: Diário do Nordeste

0 comentários:

Postar um comentário