Ads 468x60px

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

CRIMINOSO INTERNACIONAL: Ex-vereador e traficante é preso em Paramoti

Um homem foragido da Justiça do Mato Grosso, desde que forjou a assinatura de uma juíza em um alvará de soltura e contratou um suposto oficial de Justiça para fugir da pena de 16 anos que cumpria por tráfico internacional de drogas, foi preso na tarde da última quarta­feira (7), em Paramoti. 

No momento em que foi abordado, ele apresentou um documento falso e acabou detido em flagrante­delito. O criminoso é companheiro da candidata a prefeita da Cidade, Antônia Telvânia Ferreira Braz, e foi capturado no evento de inauguração do comitê da mulher. Telvânia é atualmente a vice­prefeita de Paramoti. Jocivan Barreto Pontes já foi eleito vereador, mas hoje não ocupa nenhum cargo eletivo. Em Paramoti é conhecido como Gilvan Alencar Barreto ou como 'Magrão'. No entanto, o nome que usa desde que escapou da prisão há quase duas décadas é falso. 

O delegado Regional de Itapipoca, Marcos Aurélio Elias França, disse que as notícias que chegaram à Polícia davam conta de que Gilvan era usuário de drogas, mas quando a denúncia foi apurada descobriram o porquê de ele usar outro nome. "Constatamos que Gilvan Alencar Barreto era, na verdade, Jocivan Barreto Pontes, preso pela Polícia Federal como responsável por 68Kg de crack que eram trazidos da Colômbia, no ano de 1997. Ele abastecia os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Era integrante de uma quadrilha muito organizada que liderava, à época, todo o tráfico de entorpecentes nestes Estados", explicou Marcos Aurélio.

Recambiado Conforme o delegado, o motorista do veículo que transportava a droga teria dito à Polícia quem era o responsável por ela. Jocivan acabou preso em Goiânia e recambiado para o Mato Grosso, que seria o destino do carregamento de narcóticos. Por sete meses ficou preso em Cuiabá, mas tomou à frente da trama que garantiu sua soltura. "Ele falsificou a assinatura de uma juíza e saiu pela porta da frente do presídio. Depois da fuga foi para a cidade de Capitão Poço, no Pará, onde falsificou uma Certidão de Nascimento e adotou o nome de Gilvan". Em 2008, o acusado retornou para o Ceará e tirou RG com o nome falso. Em seguida foi para Paramoti e manteve uma relação estável com Telvânia Braz, com quem tem dois filhos registrados com o nome falso. 

Marcos Aurélio disse que o criminoso revelou em depoimento que a companheira sabia de suas dívidas com à Justiça e que usava um nome falso. Ela ainda não foi ouvida pela Polícia. As investigações continuam para esclarecer se as atividades criminosas de Jocivan continuavam no Ceará. "Estamos apurando o envolvimento dele com outros crimes, com o tráfico aqui no Estado". Quando foi preso pela PF, Jocivan fazia parte de uma grande organização criminosa e está sendo investigado se ele ainda faz parte da facção

DN

0 comentários:

Postar um comentário