Ads 468x60px

quinta-feira, 7 de julho de 2016

FUGITIVO DE PRISÃO DE SEGURANÇA MÁXIMA: Cearense acusado de sequestro recapturado

Wilson Trajano é conhecido da Polícia cearense há mais de uma década. Em 2006, ele sequestrou um empresário gaúcho em Tabuleiro do Norte
Ao ser preso na última terça-feira, Wilson apresentou documentos falsos, mas foi reconhecido pelos policiais
Um cearense condenado por sequestro e assalto, fugitivo da Penitenciária de Segurança Máxima de Alcaçuz, foi recapturado na manhã da última terça-feira (5), pela Polícia do Rio Grande do Norte. José Wilson Trajano de Freitas é de Tabuleiro do Norte (a 211Km de Fortaleza) e teria envolvimento com roubos a bancos e a carros-fortes, assassinatos, sequestros e homicídios, segundo a Polícia cearense.

Wilson Trajano escapou da Penitenciária de Alcaçuz, que fica na cidade potiguar de Nísia Floresta, junto com outros 32 detentos, na noite do último dia 8 de junho. Os internos estavam no Pavilhão 2 da unidade e fugiram por um buraco escavado no piso da quadra. Eles se arrastaram até a muralha, entre as guaritas 2 e 3, e saíram por outro buraco. As guaritas estavam desativadas, segundo afirmou a Administração Penitenciária do Estado, na época da fuga.

Alguns detentos foram recapturados em seguida, mas Trajano conseguiu ir para outra cidade. Ele foi flagrado pelo Núcleo de Operações Rodoviárias Estadual (Nore), em um carro roubado, na última terça-feira. Para tentar escapar da abordagem apresentou documentos falsos em nome de Radamés Gomes. O veículo, um Volkswagen, modelo Gol, teria sido roubado de um policial militar, no Conjunto Meira Lima, em Caguaretama.

Os dois criminosos que estavam na companhia de Wilson Trajano conseguiram fugir, após entrarem em um canavial. O sequestrador cearense foi levado à Delegacia local, para ser ouvido e autuado pelo roubo. Os policias descobriram que os documentos dele eram falsos. Depois de ser devidamente identificado, Trajano foi conduzido à Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor).

Condenado

Wilson Trajano já é conhecido da Polícia cearense por diversos crimes graves. A pena que ele cumpria no Rio Grande do Norte era pelo sequestro do empresário Fábio Porcino, arrebatado de uma concessionária de veículos do pai dele, em Mossoró, no 10 de junho de 2013.
Após o fim do sequestro, o criminoso fugiu, mas foi capturado, ainda em junho de 2013, no Estado do Amapá. No ano de 2014, o bando que sequestrou o empresário foi julgado, no Estado do Rio Grande do Norte. Além de Trajano, outras três pessoas foram condenadas por participarem do caso.
No entanto, o cearense foi considerado o 'cabeça' da organização criminosa e acabou sendo condenado a 16 anos de prisão, em regime fechado.

Perigoso

O delegado Francisco Carlos de Araújo Crisóstomo, diretor do Departamento de Inteligência da Polícia Civil do Ceará (DIP), disse que Wilson Trajano é um dos criminosos mais perigosos do Estado. "Ele comandava uma quadrilha grande. Ordenou várias mortes, inclusive de um homem que foi o 'braço direito' dele em diversas ações. Esta morte desencadeou uma briga entre duas famílias que já fez várias vítimas. Ele é, sem dúvida, um dos homens mais perigosos que já agiu no Ceará", afirmou.

Segundo o delegado, as acusações que pesam contra o cearense são sérias, diante da gravidade dos crimes. "Ele se consolidou no crime assaltando bancos e carros-fortes. Depois disso passou a matar seus rivais ou qualquer pessoa que tentasse interferir em suas ações. Por fim, começou a negociar drogas e mantinha um esquema de tráfico".

Conforme Francisco Carlos Crisóstomo, o criminoso estava ordenando que sua quadrilha arrecadasse dinheiro para ele fugir. "O plano dele era sair da cadeia e ir para longe. A quadrilha estava praticando extorsões e já tinha conseguido muito dinheiro com isso. São homens muito perigosos também, um deles conhecido como 'Pé-de-Pano', morreu no ano passado, depois de enfrentar a Polícia Militar e provocar um confronto armado", declarou.

Diário do Nordeste

Portal do Helvecio

0 comentários:

Postar um comentário