Ads 468x60px

terça-feira, 21 de junho de 2016

MINISTÉRIO DA SAUDE: Distribuição de Soro antiveneno é suspensa e Sesa recebeu apenas 250 ampolas

No último domingo, uma criança de três anos foi socorrida por uma aeronave da Ciopaer, após ser picada por uma jararaca 
Nas vésperas de um dos meses em que mais se registra ocorrências com serpentes no Ceará, o Ministério da Saúde suspendeu, durante junho e julho, a distribuição de soros antiveneno, utilizados para tratamento após acidente por animal peçonhento. Segundo nota técnica divulgada pela Pasta, o material não será repassado em virtude do adiamento do cronograma de entrega do soro por parte dos laboratórios produtores.

A Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) informou que recebeu 250 ampolas, que já foram repassadas para as cinco macrorregiões do Ceará. O material, de acordo com a Secretaria, não está em falta no Estado, mas o estoque está reduzido.
Na nota técnica, o Ministério da Saúde informa que está em contato constante com os laboratórios na tentativa de antecipar as futuras entregas. Segundo a Pasta, desde 2013, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) exigiu, por meio das Boas Práticas de Fabricação (BPF), que os laboratórios cumpram as normas, o que levou à "necessidade de adequações e reformas nos parques industriais e, consequentemente, à interrupção na produção".

A Pasta informou, ainda, que vem acompanhando os cronogramas de entrega, no entanto, houve atraso pelo Instituto Butantam para assinatura do contrato 2016, além de outras justificativas que levaram a várias reprogramações. "Dentre elas: greve, furto de animais, problemas no abastecimento de matérias-primas, problemas na produção", diz a nota.  Procurado pela reportagem, o Ministério da Saúde reforçou que os laboratórios produtores dos antivenenos distribuídos no Sistema Único de Saúde (SUS) passam por readequações em suas linhas de produção. Explicou, ainda, que "acompanha os cronogramas de entregas dos soros com os fornecedores, remanejando os estoques conforme as necessidades de cada local".                                                                                                                       Ceará                                                                                                                                               Somente entre de janeiro e maio deste ano, 1.634 acidentes com animais peçonhentos foram registrados no Estado do Ceará, com três mortes. Na maioria dos casos, o ataque partiu de escorpião, com 1.170 notificações. Houve ainda 300 acidentes com serpentes, 61 com abelhas e 47 com aranhas. Um dos óbitos ocorreu por ataque de serpente e os outros dois por aranhas. Os dados são do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) da Sesa. Segundo a Secretaria, os acidentes com animais peçonhentos ocorrem todo o ano, mas há tendência no aumento dos casos com serpentes no mês de julho. As ocorrências com abelhas crescem em agosto e, com escorpiões, entre outubro e janeiro. No último domingo (19), mais um caso foi registrado, em Tauá, município distante 337Km de Fortaleza, no Sertão dos Inhamuns. Uma criança de três anos foi socorrida por uma aeronave da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer)após ser picada por uma jararaca. O menino foi levado para o Instituto Doutor José Frota (IJF), onde segue internado.
Segundo o relações pública da Ciopaer, tenente-coronel, Marcos Costa, o acidente ocorreu por volta das 11h, em um sítio próximo à sede do Município. Ele explica que a equipe foi acionada pelo Corpo de Bombeiros de Tauá.

Costa relata que o pai da criança foi informado que o filho poderia não aguentar uma viagem de carro para Fortaleza e foi ao aeroporto da cidade pedir ajuda. "O Corpo de Bombeiros fica localizado no aeroporto, realizou os primeiros socorros e nos acionou, porque não tinha soro antiofídico na cidade", conta.

Uma aeronave do Ciopaer decolou da Base Aérea de Fortaleza, pegou ampolas de soro antiveneno no IJF e seguiu para Tauá. O soro foi aplicado na criança e esta foi trazida para o IJF, em Fortaleza. O tenente-coronel revela que esta foi a primeira vez que a Ciopaer foi acionada para socorrer vítima de picada de cobra.

De acordo com o hospital, o menino segue internado no Centro de Assistência Toxicológica (Ceatox) e o estado de saúde é estável. A unidade informou, ainda, que mais outras duas crianças estão hospitalizadas por picada de cobra e, somente nesta segunda-feira (20), seis atendimentos foram realizados.

Recomendação
A recomendação em casos de picada por animal peçonhento é manter a vítima em repouso; lavar o local da picada com água e sabão; fazer compressa de gelo para aliviar a dor; evitar dar bebida alcoólica; não cortar, furar, amarrar, fazer torniquete, ou espremer o local; dar água para o paciente; e procurar orientação médica e, de preferência, reconhecer o animal ou levá-lo.

Portal do Helvecio

2 comentários: