Ads 468x60px

segunda-feira, 13 de junho de 2016

ADEUS RAIMUNDINHA COSTUREIRA: Foi esta guerreira que ajudou muito a nossa familia

        Muito obrigado meu DEUS, pelos mais de 80 anos de vida da nossa querida e amada amiga Raimunda Nogueira Araujo, a Raimunda Costureira. Está ao lado de Deus.


" QUEM É AMADA NUNCA SERÁ ESQUECIDA E SUA MEMORIA FICARÁ PARA SEMPRE EM NOSSOS CORAÇÕES "

UM POUCO DA HISTORIA DA COSTUREIRA RAIMUNDINHA PROCÓPIO
Raimunda Nogueira Araújo, solteira, nasceu na Fazenda Uruçuí – Tauá, no dia 12 de abril de 1931. Filha de Antônio Procópio Araújo e Guilhermina Nogueira Rodrigues. Veio de uma família constituída de 05 irmãos:
• Marilene Nogueira ( irmã caçula), Francisco de Assis Nogueira (in memorian), Francisco Lucimar Nogueira (in memorian), Vilma Feitosa Nogueira (in memorian) e Francisca Nogueira (in memorian).
Ainda criança, Raimunda, foi morar com os seus pais e irmãos na Fazenda Arraial. Em pouco tempo, o seu pai, autorizou para que viesse morar em Tauá com a Senhora Cartuchinha, costureira da alta sociedade e bastante conhecida na região. Então Raimunda passou a conviver com aquela família, cujo casal tinha uma filha por nome de Célia Maria Furtado, residente atualmente em Fortaleza, e que ainda hoje tem muito apreço e consideração pela família. Raimunda era tratada como filha e irmã. Nesse longo tempo aprendeu a arte da costura e fazia lindos trabalhos como: roupas plissadas, bordados e outros. Tornou-se uma grande costureira na cidade.
Aos 33 anos o seu pai faleceu, então por uma questão de necessidade e de amparar a família decidiu voltar para a sua casa, na época ainda residiam na fazenda Arraial, mas em pouco tempo vieram para Tauá. Continuou os seus trabalhos de costureira e foi o grande pilar para o sustento de todos. Trabalhou muito, jamais deixou faltar o necessário em casa, viveu para a sua família.
Era católica praticante e atualmente fazia parte do Grupo 13 de Nossa Senhora de Fátima. Sempre muito respeitada e amada por toda a vizinhança.
+Faleceu no dia 05 de junho de 2016.

Ana Lucia Calaça e Marilene Araujo

Portal do Helvecio

0 comentários:

Postar um comentário