Ads 468x60px

sábado, 5 de março de 2016

PROTESTO: Governador Camilo Santana se solidariza com ex-Presidente Lula



Partindo em defesa do ex-presidente Lula, petistas cearenses reagiram com críticas e a indicação de mobilizações contrárias a 24ª fase da Operação Lava-Jato, em que Luiz Inácio Lula da Silva foi conduzido coercitivamente pela Polícia Federal para prestar depoimento como investigado. Ele também foi alvo de mandado de busca e apreensão. Na tarde de ontem, o diretório estadual do PT realizou uma reunião fechada com integrantes e militantes do partido para debater o acontecimento e definir ações.

No início da noite, em Brasília, o governador Camilo Santana publicou nota em sua página no Facebook, prestando solidariedade a Lula. "Não poderia deixar de expressar aqui minha solidariedade ao ex-presidente Lula e à sua família, que passaram por um constrangimento público injustificado no dia de hoje (ontem). Sou um defensor intransigente da democracia e do respeito às leis. Tenho absoluta convicção de que qualquer país só é forte se as suas instituições e os direitos constitucionais forem respeitados e sólidos".

Prosseguindo, Camilo disse: "O que temos visto nos últimos dias são alguns episódios preocupantes de agressão ao Estado de Direito. Depois de vazamentos seletivos de suposta delação premiada atingindo a presidenta Dilma e o ex-presidente Lula, o País foi surpreendido hoje (ontem) por uma ação espetaculosa, com o aparente objetivo de desestabilizar o País".

Na reunião dos petistas cearenses ontem, estavam presentes o deputado federal José Guimarães, líder do Governo na Câmara dos Deputados, e os deputados estaduais Elmano de Freitas e Moisés Braz, além do presidente estadual do PT, Francisco De Assis Diniz.

Coercitiva

De Assis Diniz classificou a ação como uma peça midiática para desgastar, desmoralizar e colocar o ex-presidente Lula em uma situação constrangedora. Para ele, a convocação tem o intuito de destruir um mito popular que construiu harmonia e crescimento no Brasil. "O que está em jogo é essa direita voltar ou se vamos continuar avançando. Essa ação midiática destrói o mito que é a última figura popular, um líder do popular", avaliou.
O presidente estadual do partido afirmou, ainda, que as acusações contra Lula têm conteúdo falacioso para alimentar um golpe. Ele apontou como desnecessária a decisão do juiz federal Sérgio Moro e ressaltou que os militantes não vão aceitar a situação, reagindo ao "golpe" com protestos e mobilização social.

"É uma violência sem precedentes em se tratando da força descomunal com homens fortemente armados para cercar o Instituto Lula, mais de 80 homens. No próprio conteúdo não tinha necessidade", afirmou.
Segundo De Assis, a operação não tem intenção de apurar prática de corrupção no Brasil e, sim, de destruir a imagem do PT. Ele questionou o motivo de denunciados do PSDB não passarem pelo mesmo tipo de ação.

De Assis ainda disse haver uma aliança entre setores do Judiciário, do Ministério Público e parte da Polícia Federal para desgastar o Partido dos Trabalhadores, inclusive com vistas o processo eleitoral deste ano. "Essa é a grande questão, o que eles querem é a partir desse processo midiático desgastar o PT para perder nos grandes centros", atestou o dirigente.

Ponderando não haver ninguém acima da lei, o líder do Partido dos Trabalhadores na Câmara Municipal de Fortaleza, o vereador Deodato Ramalho, avaliou que a Operação Lava-Jato tem sido seletiva e a condução coercitiva de Lula foi arbitrária, ofendendo o Estado de Direito. Segundo o parlamentar, a intenção da ação foi movimentar o noticiário negativo contra o PT.

Deodato argumentou existir uma politização na Lava-Jato para criminalizar as lideranças e criar dificuldades políticas para o Partido dos Trabalhadores. Ele acusou o juiz Sérgio Moro de agir politicamente e ter ligações com os partidos de oposição pelo fato de sua esposa ser advogada do PSDB. "O Lula não foi intimado para prestar qualquer depoimento, o que deixa claro é que há politização tentando criminalizar o PT e suas lideranças, seja por agir seletivamente ou nesse tipo de espetáculo que tem sido promovido para alimentar o noticiário negativo", destacou.

O vereador Guilherme Sampaio, ex-secretário de Cultura do Estado, defendeu existir uma tentativa de construção de golpe pelas vias institucionais com a utilização do Ministério Público, da Justiça e da Polícia Federal com finalidades partidárias.

DN
Portal do Helvecio

0 comentários:

Postar um comentário