Ads 468x60px

segunda-feira, 28 de março de 2016

OAB passa vexame histórico ao entregar pedido de impeachment na Câmara

O presidente da OAB, Claudio Lamachia, passou um vexame histórico em Brasília na tarde desta segunda-feira (28), ao ser barrado na tentativa de entregar ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), um novo pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.
Um grupo de advogados, aos gritos de “não vai ter golpe” e “a OAB apoiou a ditadura”, tentou impedir a entrada de Lamachia na sala de Cunha. Outro grupo, em apoio ao presidente da OAB, gritava “fora, PT”. “Nesse momento os advogados que defendem a Democracia e a Constituição estão rechaçando o descabido pedido de impeachment da OAB”, comentou no Twitter o deputado federal e ex-presidente da OAB-RJ, Wadih Damous (PT-RJ), que estava no local.
Lamachia recebeu mais cedo, nesta segunda, três pedidos de advogados para que a Ordem realizasse uma consulta ampla à categoria sobre a questão e adiasse a entrega do novo pedido de impeachment
Segundo Lamachia, os pedidos para suspender a decisão da entidade de apoiar o afastamento de Dilma não representam a categoria e negou que haja um racha na instituição. Lamachia ponderou ainda que a decisão de apoiar o afastamento da presidente foi técnica e ouviu mais de 5 mil dirigentes da Ordem.
Com o tumulto no Salão Verde da Câmara, que durou mais de uma hora, Lamachia desistiu de entregar o pedido diretamente a Cunha, que é réu no Supremo Tribunal Federal por corrupção, e decidiu apenas protocolar o pedido. Em coletiva após a entrega do documento, Lamachia disse que a OAB “não se manifesta na linha da política partidária”, e que não estava lá defendendo governo ou oposição, mas sim “em nome dos cidadãos”. Ele rechaçou novamente que haja um racha na instituição. “De maneira alguma”, assegurou.
Portal do Helvecio

0 comentários:

Postar um comentário