Ads 468x60px

quarta-feira, 9 de março de 2016

NEM CHORO NEM VELA: Odorico deixa PT dizendo que foi tangido por Guimaraes que nega

O deputado federal chorou ao anunciar que está se transferindo para o PROS e adiantou que suas bandeiras permanecem as mesmas. Petista desde os primeiros momentos, ele sai acusando José Guimarães de perseguição

VERSÃO DO DEPUTADO ODORICO

A voz embarga, os olhos lacrimejam e o contido murro na mesa fecha a composição que dá forma ao “drama metafísico” que o deputado federal Odorico Monteiro diz estar sentindo no momento em que dá fim a uma relação de 36 anos com o Partido dos Trabalhadores. “Estou sendo tangido do PT, tangido”, disse, ontem à tarde, na sala do seu apartamento em Fortaleza, ao confirmar que está trocando de sigla e ainda amanhã organiza um ato para oficializar filiação ao Pros.                                                                                                         Odorico Monteiro responsabiliza o colega de bancada José Guimarães, atual líder do governo Dilma Rousseff na Câmara, por sua decisão de deixar o PT. Desde quando decidiu candidatar-se a uma vaga de deputado federal, ele afirma vir sendo alvo de perseguições e retaliações, apesar, garante, de ter sempre buscado uma forma de entendimento com o parlamentar, reconhecendo-o como uma das principais lideranças petistas no Ceará. “Várias das pessoas com as quais conversei nos últimos dias, para comunicar minha decisão, entenderam o gesto porque sabiam que eu não estava fantasiando, que não era um instinto paranoico”, diz.
Desde agosto do ano passado que Odorico Monteiro tenta discutir a situação com o presidente da executiva nacional, Rui Falcão, ainda buscando uma forma de reduzir e resolver seus incômodos internos. “Até hoje não tive qualquer resposta, por exemplo, a um pedido de audiência”, reclama, mostrando-se cansado. Desde a campanha que Guimarães, segundo ele, tenta impedir sua candidatura. “Até o (Alexandre) Padilha foi procurado para tentar me convencer a desistir”, afirma, adiantando que sua campanha não recebeu um centavo do partido. Mais um desabafo: “Já eleito, fui a São Paulo para ver se conseguia alguma ajuda nacional e só cheguei à recepção. Sequer consegui ser recebido pelo Falcão”.
Bateu e levou

Acertado com a cúpula nacional do Pros, Odorico Monteiro adianta que tensionará no novo partido para que ele assuma uma linha de centro-esquerda. “Mudo de partido, mas não mudo de bandeiras”, afirma, reforçando a prioridade do mandato à defesa, dentre outros, do movimento social, do trabalhador rural, negro, à população LGBT e da mulher. 

O presidente estadual do PT, Francisco de Assis Diniz, nega qualquer perseguição ao deputado. “Na verdade, ele gosta de metáforas, gosta de encenar as coisas”, diz o dirigente, que acusa Odorico de, na verdade, querer se equiparar a José Guimarães dentro do equilíbrio de forças interno. Sobre a recusa do presidente nacional Rui Falcão em receber Odorico Monteiro, De Assis Diniz afirma que foi deliberada. “Ele já sabia que era uma tentativa de justificar o injustificável, criar uma situação para anunciar a saída do partido”, diz o dirigente.
VERSÃO DO DEPUTADO GUIMARAES
Guimarães nega ter perseguido ou "tangido" Odorico para fora do PT
Segundo Guimarães, decisão foi pessoal. Desejando sorte a Odorico, o deputado alfinetou o ex-correligionário: "Estão aqueles que apostam na derrocada do PT"
Líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT)negou nesta quarta-feira, 9, ter perseguido ou coagido o ex-petistaOdorico Monteiro (Pros) para sair do PT. Em entrevista ao O POVO, Odoricoresponsabilizou Guimarães por sua saída do partido, após 36 anos de militância no partido. “Estou sendo tangido do PT, tangido”, disse.


Em nota, José Guimarães destacou que a decisão de sair da legenda coube “unicamente ao deputado”. “É uma questão de foro íntimo, sobre a qual não carrego nenhuma responsabilidade”, diz. Após desejar sorte e sucesso para Odorico, o parlamentar alfinetou o ex-correligionário: “Estão aqueles que apostam na derrocada do PT”.



A resposta de Guimarães foi mais "cordial" que a do presidente do PT cearense, Francisco de Assis Diniz. Em entrevista ao O POVO, De Assis disse que, na verdade, o interesse de Odorico era se equiparar a José Guimarães dentro do equilíbrio de forças do partido. "Na verdade, ele (Odorico) gosta de metáforas, gosta de encenar as coisas”, disse.

Rui Falcão
O ex-petista, no entanto, alega ter sido perseguido e retaliado desde quando decidiu candidatar-se a uma vaga de deputado federal. Ele afirma ainda ter procurado, desde agosto passado, o presidente nacional da legenda, Rui Falcão, para uma conversa sobre o caso. “Fui a São Paulo para ver se conseguia alguma ajuda nacional e só cheguei à recepção”, diz. 


Segundo De Assis, a recusa Sobre a recusa de Rui Falcão em receber Odorico foi deliberada. “Ele já sabia que era uma tentativa de justificar o injustificável, criar uma situação para anunciar a saída do partido”, diz o dirigente.

O Povo
Portal do Helvecio



0 comentários:

Postar um comentário