Ads 468x60px

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Sobral: Estudante que matou vigilante é preso




A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) elucidou o latrocínio do vigilante Flávio Linhares Miranda (40), morto após ter a arma subtraída na escola em que trabalhava, no último dia 18. O caso ocorreu no município de Sobral - Área Integrada de Segurança 12 (AIS 12) do Estado. Um dos envolvidos na infração é aluno da escola.

As investigações foram realizadas por policiais da Delegacia Municipal da cidade, logo após o delito. A vítima ainda foi socorrida à Santa Casa de Sobral, mas não resistiu aos ferimentos. Os levantamentos sobre o caso, bem como informações de testemunhas, levaram a Polícia ao aluno Romário Xavier Santos (22), que responde por porte ilegal de arma de fogo.

Romário foi preso no último dia 22 em cumprimento a um mandado de prisão temporária pelo delito. Para cometer o crime, ele contou com a ajuda de um comparsa, um adolescente de 15 anos, que foi identificado nessa quarta-feira (24). O preso nega as acusações, mas toda a trama criminosa foi descoberta pela Polícia.

O plano
O plano era roubar a arma da vítima. De acordo com as apurações, Romário havia chamado o menor para jogar bola e, durante a partida, os dois planejaram a infração. Eles se conheceram numa torcida organizada de futebol.

Por estudar na instituição, o capturado conhecia a movimentação do local e sabia que o trabalhador portava o armamento. A dupla usou uma motocicleta durante a ação, que foi cometida enquanto a escola estava fechada. Eles pularam o muro e, para se aproximarem sem levantar muitas suspeitas, o adolescente estava vestido com a farda da instituição, que foi conseguida por ele com um amigo. Durante as diligências, o fardamento foi apreendido em sua casa.

Ao ser abordado, o vigilante tentou reagir e foi atingido pelos disparos - efetuados de um revólver calibre 38. Tanto a arma levada da vítima como a utilizada pelos suspeitos ainda não foram encontradas. Há suspeitas de que Romário estivesse sob o efeito de drogas durante o crime. Ainda segundo levantamentos policiais, alguns estudantes ouviram rumores sobre o esquema delituoso. 

Para o delegado João Henrique, titular da Delegacia Municipal e responsável pelas investigações sobre o ocorrido, o caso foi elucidado. Romário ainda foi reconhecido por testemunhas. Agora, as apurações sobre os suspeitos continuam no sentido de apurar o envolvimento deles em outros assaltos contra vigilantes na área, bem como de apreender o adolescente envolvido. Romário morava no mesmo bairro onde fica a escola - Dom Expedito.

Fonte: SSPDS


0 comentários:

Postar um comentário