Ads 468x60px

domingo, 21 de fevereiro de 2016

COCOCI: Missa presidida pelo Bispo Ailton com a segunda Porta Santa do Ano da Misericordia

VEJA IMAGENS
Padre Marcio, e a comunidade fez a recepção. A distancia e estradas ruins nao foram páreos para as centenas de católicos que se deslocaram de Parambu, Taua, Quiterianopolis,Arneiroz e Aiuaba para participar da belíssima Missa presidida pelo o Bispo Diocesano de Crateús, Ailton Menegussi.
Igreja de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, da comunidade de Cococi - Parambu, ficou pequena para o grande número de pessoas. As laterais da Igreja mesmo com o sol fortíssimo tambem ficou lotada de católicos que nao podiam entrar.
A celebração eucarística de abertura da segunda PORTA SANTA DO ANO DA MISERICORDIA da Diocese de Crateús, foi marcada tambem pela emoção. O ritual litúrgico marcou a instalação do jubileu Extraordinário na área sul da diocese e contou com a participação de Padres, Diáconos, Religiosos, Agentes de Pastorais e milhares de fieis das Paróquias de São Pedro (Parambu), Nossa Senhora do Rosário (Tauá) e Nossa Senhora da Conceição (Quiterianópolis).

A Santa Missa precedida de procissão foi encerrada com a leitura da Bula de convocação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, meio pelo qual, o Santo Padre, O papa Francisco, exorta os cristãos do mundo inteiro a viverem à luz do rosto de Cristo e a serem misericordiosos como o Pai. Antes da benção final, todos passaram pela porta e foram aspergidos com água benta. Coube ao radialista e blogueiro Abraão Barros de Assis fazer a leitura da Bula de Convocação do Jubileu Extraordinário da Misericordia

Durante o Ano Santo esta Igreja será Santuário de peregrinações na Área Sul, assim como o serão a Igreja de Assis, na Área Centro e a Matriz de São Gonçalo, na Área Norte da Diocese. Pela Porta Santa, sinal visível das Graça de Deus, os Cristãos arrependidos poderão receber as indulgencias de seus pecados a fim de viverem eficazmente o que Cristo e a sua Igreja nos recomenda através do Santo Evangelho: dar de comer a quem tem fome, dar de beber a quem tem sede, vestir o nu, dar abrigo a quem não tem, visitar os doentes e presos, sepultar os mortos, praticar a justiça e dar esmola; instruir, aconselhar, corrigir, perdoar e ter paciência.

Instituid o pelo Papa Francisco, o ano Jubilar Extraordinário foi aberto oficialmente no Vaticano, na Basílica de São Pedro, no dia 8 de dezembro de 2015 e será encerrado no dia 20 de novembro de 2016, na Festa de Cristo Rei do Universo.

O desejo do Papa é que este Ano converta-se em uma oportunidade para “viver no dia a dia a misericórdia que desde sempre o Pai dispensa a nós. Neste Jubileu, deixemo-nos surpreender por Deus. Ele nunca se cansa de abrir a porta de Seu coração para repetir que nos ama e quer compartilhar conosco a sua vida… […] Que este Ano Jubilar da Igreja se converta em eco da Palavra de Deus que ressoa forte e decidida com palavra e gesto de perdão, de suporte, de ajuda, de amor. Nunca se canse de oferecer misericórdia e seja sempre paciente em confortar e perdoar. A Igreja se faça voz de cada homem e mulher e repita com confiança e sem descanso: ‘Lembra-te, Senhor, de tua misericórdia e de teu amor; que são eternos.’”

Abraao Barros/Helvecio Martins













A distancia e estradas ruins nao foram páreos para as centenas de católicos que se deslocaram de Parambu, Taua, Quiterianopolis,Arneiroz e Aiuaba para participar da belíssima Missa presidida pelo o Bispo Diocesano de Crateús, Ailton Menegussi.
Igreja de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, da comunidade de Cococi - Parambu, ficou pequena para o grande número de pessoas. As laterais da Igreja mesmo com o sol fortíssimo tambem ficou lotada de católicos que nao podiam entrar.
A celebração eucarística de abertura da segunda PORTA SANTA DO ANO DA MISERICORDIA da Diocese de Crateús, foi marcada tambem pela emoção. O ritual litúrgico marcou a instalação do jubileu Extraordinário na área sul da diocese e contou com a participação de Padres, Diáconos, Religiosos, Agentes de Pastorais e milhares de fieis das Paróquias de São Pedro (Parambu), Nossa Senhora do Rosário (Tauá) e Nossa Senhora da Conceição (Quiterianópolis).

A Santa Missa precedida de procissão foi encerrada com a leitura da Bula de convocação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, meio pelo qual, o Santo Padre, O papa Francisco, exorta os cristãos do mundo inteiro a viverem à luz do rosto de Cristo e a serem misericordiosos como o Pai. Antes da benção final, todos passaram pela porta e foram aspergidos com água benta. Coube ao radialista e blogueiro Abraão Barros de Assis fazer a leitura da Bula de Convocação do Jubileu Extraordinário da Misericordia

Durante o Ano Santo esta Igreja será Santuário de peregrinações na Área Sul, assim como o serão a Igreja de Assis, na Área Centro e a Matriz de São Gonçalo, na Área Norte da Diocese. Pela Porta Santa, sinal visível das Graça de Deus, os Cristãos arrependidos poderão receber as indulgencias de seus pecados a fim de viverem eficazmente o que Cristo e a sua Igreja nos recomenda através do Santo Evangelho: dar de comer a quem tem fome, dar de beber a quem tem sede, vestir o nu, dar abrigo a quem não tem, visitar os doentes e presos, sepultar os mortos, praticar a justiça e dar esmola; instruir, aconselhar, corrigir, perdoar e ter paciência.

Instituid o pelo Papa Francisco, o ano Jubilar Extraordinário foi aberto oficialmente no Vaticano, na Basílica de São Pedro, no dia 8 de dezembro de 2015 e será encerrado no dia 20 de novembro de 2016, na Festa de Cristo Rei do Universo.

O desejo do Papa é que este Ano converta-se em uma oportunidade para “viver no dia a dia a misericórdia que desde sempre o Pai dispensa a nós. Neste Jubileu, deixemo-nos surpreender por Deus. Ele nunca se cansa de abrir a porta de Seu coração para repetir que nos ama e quer compartilhar conosco a sua vida… […] Que este Ano Jubilar da Igreja se converta em eco da Palavra de Deus que ressoa forte e decidida com palavra e gesto de perdão, de suporte, de ajuda, de amor. Nunca se canse de oferecer misericórdia e seja sempre paciente em confortar e perdoar. A Igreja se faça voz de cada homem e mulher e repita com confiança e sem descanso: ‘Lembra-te, Senhor, de tua misericórdia e de teu amor; que são eternos.’”

0 comentários:

Postar um comentário