Ads 468x60px

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Tem que pagar pelo que fez: Justiça decreta prisão preventiva de homem que confessou matar modelo em saída de festa

O homem que confessou matar o modelo Johnny Moura teve a prisão preventiva decretada nesta quinta-feira (21). O crime aconteceu na saída de uma festa no dia 27 de dezembro no bairro Dunas. A vítima foi morta com um disparo.
O agente penitenciário Renílson Garcia foi preso em flagrante no dia 29 de dezembro de 2015. Agora, ele deve seguir detido devido à preventiva, por haver indícios da autoria do assassinato. A decisão foi tomada pela juíza Adriana da Cruz Dantas, responsável pela Vara Única Privativa de Audiências de Custódia de Fortaleza.
Ele responde por homicídio duplamente qualificado (por motivo fútil e utilizando recursos que impossibilitaram a defesa da vítima). Entretanto, por ser agente, não pode ficar preso com os demais detentos, estando sob custódia no Hospital e Sanatório Penal Professor Otávio Lobo.
Crime

Johnny Moura, de 22 anos, foi para uma festa no La Maison Buffet, onde ocorreu confusão. Outro jovem havia dado em cima da namorada de Johnny, que não gostou e acabou deferindo murros contra ele.

Já no fim da festa, fora do buffet, Johnny estava no banco de passageiros do carro que a namorada dirigia, quando baixou o vidro cerca de “cinco dedos”. O assassino puxou a cabeça da vítima, de acordo com a polícia, e disparou um tiro na testa do rapaz.
O crime aconteceu por volta das 5h30 do dia 27 de dezembro. Cerca de 2 mil fotos foram cedidas pela organização da festa, o Mcnish Vibes, para identificação do suspeito. Os responsáveis pela festa eletrônica se prontificaram a ajudar nas investigações.
Johnny Moura era modelo, promotor de eventos e atleta de polo aquático. Ele chegou a ser levado para o Instituto Dr. José Frota (IJF), mas não resistiu aos ferimentos. O corpo do jovem foi enterrado na tarde desta segunda-feira, no cemitério São João Batista, no Centro.
Helvecio Martins

0 comentários:

Postar um comentário