Ads 468x60px

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Coelce ja cortou energia elétrica de 48 prefeituras do Ceará

Quixadá - Falta de energia elétrica 27.03.15 (1)


BaturitéEste ano a Companhia Energética do Ceará (Coelce), já realizou o corte de energia elétrica em prédios de 48 prefeituras deste Estado. Esta semana o fornecimento foi suspenso em mais três municípios do Interior: Baturité, Acarape e Mauriti. Os cortes foram realizados em 15 prédios públicos dessas cidades. Segundo a Coelce os cortes foram feitos evido ao não pagamento de faturas por parte dos municípios.

Deste total, 13 continuam com o fornecimento suspenso, ainda sem negociação. As prefeituras que seguem com unidades administrativas com fornecimento suspenso são: Aracoiaba, Mulungu, Baturité, Pacajus, Guaramiranga, Chaval, Pacujá, Frecheirinha, Independencia, Mauriti, Santa Quitéria e Icapuí.
Conforme Nota emitida pela Coelce, a empresa concessionária somente tomou a decisão de interromper o abastecimento de energia após tentar negociar o débito com as prefeituras em várias ocasiões. Os cortes cumprem rigorosamente a resolução 414 da Agencia Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e são ingressados preferencialmente em unidades consumidoras que não prestam serviços essenciais.
O Mercado Público de Baturité foi considerado uma dessas unidades. O chefe de Gabinete da Prefeitura deste município serrano, Elias Júnior, reconhece a divida junto à Coelce. Ele justificou que o débito se acumulou no período de vacância do prefeito João Bosco, quando esteve afastado por determinação da Justiça pelo período de três meses. A dívida contraída chegou a R$ 150 mil, incluindo também internet e água. Além do Mercado Público a Secretaria de Administração e Finanças também teve a energia cortada.
Cerca de 100 permissionários do mercado foram prejudicados, principalmente quem comercializa carnes e verduras. A vigilância do local também ficou mais arriscada. O fornecimento de energia já foi normalizado, mas na avaliação do representante da administração municipal esses problemas poderiam ter sido evitados se a Coelce tivesse um pouco mais de sensibilidade. “Uma empresa que diz trabalhar o social, mas só age de forma unilateral e pelo jeito está preocupada apenas com o seu lucro, no último trimestre chegando a mais de R$ 300 milhões”, desabafou.
O presidente da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), Expedito do Nascimento, classificou o problema como decorrente da redução de recursos financeiros repassados para os municípios. A queda este ano já é de 5%. Esses índices estão refletindo também na remessa da cota do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Através dele a Coelce capta o pagamento da dívida das prefeituras. Como a arrecadação caiu, as dívidas estão aumentando, pontuou.
A reportagem solicitou da Coelce a relação das prefeituras que já tiveram o fornecimento de energia elétrica cortado e também o número exato e dos prédios onde o serviço foi interrompido, mas o pedido não foi atendido.

Helvecio Martins

0 comentários:

Postar um comentário