Portal do Helvécio Martins

Ads 468x60px

Featured Posts

terça-feira, 2 de maio de 2017

TRÂNSITO Camilo Santana anuncia concurso do Detran-CE com 300 vagas


Camilo reforçou que apenas a burocracia dificultou o lançamento do concurso -
O governador Camilo Santana anunciou, no início da tarde desta terça-feira (2), durante bate-papo com internautas no Facebook a data e a quantidade de vagas para o concurso do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/CE).

Segundo o Chefe do Executivo, o certame será realizado ainda no segundo semestre deste ano e serão ofertadas 300 vagas. Camilo reforçou que apenas a burocracia dificultou o lançamento do concurso. “Quem estiver esperando, estude!”, comentou.

O último concurso público realizado para o órgão ocorreu em 2006. À epoca, foram ofertadas 200 vagas para agente de trânsito e fiscal de transportes

Portal do Helvecio
Leia Mais...

Primeiro retransplantado de coração no Ceará comemora 18 anos de sobrevida

banner site HM retranplantes

Doação de órgãos representa vida. E foi por este ato de amor e solidariedade que o marceneiro Antônio Pereira de Moura conseguiu sobreviver. Há 18 anos, ele sofreu um acidente de carro, ficou com sequelas no coração e a recomendação médica era a realização de um transplante. Antônio é de Fortaleza e é paciente pioneiro em retransplante de coração no Ceará, feito no Hospital de Messejana  Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM), do Governo do Ceará. Ele também é o primeiro transplantado cardíaco no HM.

Essa história ninguém esquece no Hospital de Messejana. Para receber um novo coração, Antônio Moura esperou três meses e o primeiro transplante foi realizado com sucesso. Depois de seis anos, o coração, que já tinha um marcapasso, apresentou problemas e o marceneiro precisou fazer o retransplante. A espera também foi curta, apenas dois meses e Antônio já recebeu um coração novo.

"Eu me sentia muito cansado. Tudo o que eu fazia cansava. Mas, depois de passar por dois transplantes, minha vida é outra. Trabalho todos os dias, faço caminhadas, cuido da alimentação e dos meninos que nasceram depois dos transplantes", fala com alegria.

O primogênito de Antônio, que nasceu após o primeiro transplante, recebeu o nome de Juan, em homenagem ao cirurgião cardiovascular peruano, Juan Mejia, que fez a cirurgia dele. Após o retransplante feito em 2005, o marceneiro ainda teve o segundo filho, Davi. O nome do menino também foi uma homenagem ao coordenador clínico da Unidade de Transplantes Cardíacos do HM, João David.

"Sempre fui bem atendido no HM e esses dois médicos representam muito para mim, por isso fiz a homenagem", comenta Antônio, que de três em três meses recebe acompanhamento médico no hospital. Na casa dele, tudo agora tem mais alegria, mais vida. "Me sinto disposto, entusiasmado e muito feliz com a oportunidade que tive", comemora.


Crescimento de 33%

E são histórias como a de Antônio que fazem o Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes, da rede pública do Governo do Ceará, se destacar e receber títulos de referência em transplantes. No ano passado, o hospital superou o recorde  registrado em 2015: foram realizados 32 transplantes cardíacos em 2016, enquanto no ano anterior foram 24, crescimento de 33%. De acordo com o Registro Brasileiro de Transplantes (RBT 2016), divulgado no dia 10 de março pela Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), o Ceará foi o terceiro estado do país que mais realizou transplantes de coração, ficando atrás apenas do Distrito Federal e de Pernambuco.

O diretor geral do Hospital de Messejana, Frederico Augusto de Lima e Silva, reforça que ao longo dos anos, o HM vem buscando excelência no tratamento de seus pacientes. "Ao realizar transplantes cardíacos e pulmonares em pacientes, não só do Ceará mas de todo o país, a instituição inscreve-se em um grupo especial de hospital públicos brasileiros reconhecidos pela população como verdadeiramente de utilidade pública e excelência", enfatiza.

Um dos pacientes transplantados no ano passado foi o cantor cearense José Silveira Neto, conhecido como Cláudio Galeno, 57, que tem 13 discos gravados. Depois de passar por seis infartos, quatro AVCs e dois cateterismos, ele precisou realizar o transplante cardíaco. A cirurgia aconteceu em agosto de 2016. "Me sinto como se tivesse nascido de novo. Eu só vivia com falta de ar, cansaço, indisposição, tontura. Agora já penso até em volta a cantar", declara Galeno.

Este ano, até o mês de abril, já foram realizados dez transplantes cardíacos no HM. O coordenador da Unidade de Transplante e Insuficiência Cardíaca do Hospital de Messejana, João David de Souza Neto, explica que este é um marco da equipe. "Aqui nós contamos com o apoio de todos os profissionais do hospital, o que nos garante um atendimento diferenciado, com resultados positivos. Nossos transplantes têm uma taxa de mortalidade menor que dez por cento. Estamos conseguindo salvar muitas vidas e garantindo qualidade de vida a esses pacientes", afirma.

Atualmente, 14 pacientes aguardam na fila de Transplantes do Hospital de Messejana. Oito deles são crianças. A enfermeira Gyslane Vasconcelos, que é coordenadora multidisciplinar da Unidade de Transplante e Insuficiência Cardíaca do HM, conta que todos eles são acompanhados antes, durante e após a cirurgia. "Nós temos vários profissionais envolvidos com o paciente. São psicólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, nutricionistas, enfermeiros e médicos. Enfim, uma equipe que trabalha unida para proporcionar o melhor atendimento a cada um deles", explica.

Portal do Helvecio
Leia Mais...

NAVIO SPAR CORONA: Porto do Pecém chega a 1,5 milhão de toneladas de placas de aço exportadas

RR MVS5658
O navio Spar Corona foi carregado com 27.613,41 t, equivalente a 1.366 unidades de placas



O Porto do Pecém alcançou a marca de 1,5 milhão de toneladas de placas de aço movimentadas. O navio Spar Corona foi carregado com 27.613,41 t, equivalente a 1.366 unidades de placas. Com destino ao Porto de Santos, a embarcação desatracou nesta segunda-feira (1).

Desde janeiro foram movimentadas 906.618,75 toneladas, 51% a mais que o total dos cinco primeiros meses da operação de placas que aconteceu de agosto a dezembro do ano passado no porto.  De acordo com o diretor-presidente da Cearáportos, Danilo Serpa, até o momento já estão programados para o mês de maio a atracação de mais oito navios, que deverão movimentar uma carga superior a 300 mil toneladas de placas de aço.

O início da operação da Companhia Siderúrgica do Pecém promoveu um incremento na movimentação total do porto. "Vale ressaltar que apenas de matéria-prima a CSP movimenta cerca de 7 milhões de toneladas, e a capacidade de produção da siderúrgica por ano, que serão movimentadas pelo Pecém, é de mais 3 milhões de toneladas de placas de aço", destaca o presidente.

O impacto nas atividades no porto cearense já pode ser observado em 2016, quando o recorde de movimentações no acumulado do ano foi alcançado, chegando a 11 milhões de toneladas de cargas importadas e exportadas. “Esperamos finalizar este ano com 14 milhões de toneladas”, finaliza Serpa.

A operação das placas de aço está sendo realizada em parceria pelos três prestadores de serviços do Porto do Pecém (Tecer, Apm Terminals e Unilink), sob a coordenação da Cearáportos. Desde agosto de 2016 já foram exportadas placas de aço produzidas no Ceará para diversos lugares do mundo como, Estados Unidos, Turquia, Itália, Tailândia, Coreia do Sul, dentre outros.

Portal do Helvecio
Leia Mais...

segunda-feira, 1 de maio de 2017

MÊS DE MAIO: Mês de Maria, mês das mães. A história de Nossa Senhora de Fátima

Conheça toda história do mês de maio, mês de Maria, mês das mães, mês de Nossa Senhora de Fátima
Maio não é só o mês das noivas como é popularmente chamado, mas também o mês de Maria, mês das mães. Isso porque no segundo Domingo de Maio comemoramos o dia das Mães e no dia 13 de maio celebramos o dia de Nossa Senhora de Fátima.
Em maio de 1917 o Papa Bento XV, em meio a Primeira Guerra Mundial, convocou todos os católicos para se unirem em oração e pedirem a Nossa Senhora que intercedesse na guerra e trouxesse paz para aquele momento. E foi a partir daí que começa a história de Nossa Senhora de Fátima.

História de Nossa Senhora de Fátima

Oito dias após a convocação do Papa, em resposta as orações, Nossa Senhora de Fátima fez sua primeira aparição em 13 de maio de 1917 na pequena aldeia de Fátima em Portugal. Em um local chamado “Cova de Iria”, ela apareceu para três pequenos pastorinhos: Lúcia, Francisco e Jacinta.
Por volta de meio-dia eles brincavam pelo campo enquanto cuidavam de um pequeno rebanho quando pararam para rezar o terço, como já era de costume. Queriam voltar logo para a brincadeira e por isso rezaram à moda deles e rapidamente voltaram para o campo e foi quando viram um clarão bem similar ao de relâmpagos.
Acharam que ia chover e por isso se recolheram para ir embora e foi quando viram um segundo clarão em cima da copa de uma árvore (chamada azinheira) e em seguida viram Nossa Senhora de Fátima. Assustados, quiseram correr, mas Nossa Senhora logo os tranquilizou e pedindo que não tivessem medo, pois ela vinha do Céu.
Segundo relato dos próprios pastorinhos, a visão era de uma “Senhora mais brilhante que o Sol”, e em suas mãos pendia um Rosário. Serena e tranquila disse às crianças:
“Vim para pedir que venhais aqui seis meses seguidos, sempre no dia 13, a esta mesma hora. Depois vos direi quem sou e o que quero. Em seguida, voltarei aqui ainda uma sétima vez.”
E as aparições aconteceram sete meses seguintes conforme o prometido.
Antes de ir embora, Nossa Senhora de Fátima ainda ressaltou:
“Rezem o Terço todos os dias, para alcançarem a paz para o mundo, e o fim da guerra.”

As aparições de Nossa Senhora de Fátima

As aparições continuaram nos meses seguintes e mesmo em meio a perseguições, maus tratos e acusações de serem mentirosos, Lúcia, Francisco e Jacinta estavam na Cova de Iria para esperar por Nossa Senhora de Fátima. Tanto que na segunda aparição, haviam apenas 50 pessoas os acompanhando.
Mas isso foi mudando e na terceira aparição prometeu um milagre para que o povo acreditasse nas crianças. E na última aparição, em 13 de outubro, o milagre aconteceu. Haviam com eles mais de 70.000 pessoas e em meio a multidão, do meio das nuvens negras, o sol surgiu e começou a girar sobre si mesmo como se fosse uma imensa bola de fogo.
E foi também nessa última aparição que Nossa Senhora de Fátima revelou ser a Senhora do Rosário e pediu que ali fosse construída uma capela em sua homenagem.

Segredos de Fátima

Na terceira aparição de Nossa Senhora de Fátima foi revelado a Lúcia um Segredo constituído por três partes que seriam reveladas posteriormente nas demais aparições. São eles, nas próprias palavras de Lúcia:

1ª parte - A visão do Inferno

“Nossa Senhora mostrou-nos um grande mar de fogo que parecia estar debaixo da terra. Mergulhados em esse fogo, os demónios e as almas, como se fossem transparentes e negras ou bronzeadas, com forma humana, que flutuavam no incêndio levadas pelas chamas que delas mesmas saíam juntamente com nuvens de fumo, caindo para todos os lados, semelhante ao cair das faúlhas em grandes incêndios, sem peso nem equilíbrio, entre gemidos e gritos de dor e desespero que horrorizava e fazia estremecer de pavor.
Os demónios distinguiam-se por formas horríveis e asquerosas de animais espantosos e desconhecidos, mas transparente e negros.
Esta vista foi um momento, e graças à nossa boa Mãe do Céu, que antes nos tinha prevenido com a promessa de nos levar para o Céu (na primeira aparição)! Se assim não fosse, creio que teríamos morrido de susto e pavor”.

2ª parte - Devoção ao Imaculado Coração de Maria

“Nossa Senhora me disse que nunca me deixaria e que Seu Imaculado Coração seria o meu refúgio e o caminho que me conduziria a Deus.Que foi ao dizer estas palavras que abriu as mãos, fazendo-nos penetrar no peito o reflexo que delas expedia.
Parece-me que, em este dia, este reflexo teve por fim principal infundir em nós um conhecimento e amor especial para com o Coração Imaculado de Maria; assim como das outras duas vezes o teve, me parece, a respeito de Deus e do mistério da Santíssima Trindade. Desde esse dia, sentimos no coração um amor mais ardente pelo Coração Imaculado de Maria”.

3ª parte - A última revelação do Segredo

“Depois das duas partes que já expus, vimos ao lado esquerdo de Nossa Senhora um pouco mais alto um Anjo com uma espada de fôgo em a mão esquerda; ao centilar, despia chamas que parecia iam incendiar o mundo; mas apagavam-se com o contacto do brilho que da mão direita expedia Nossa Senhora ao seu encontro:
O Anjo apontando com a mão direita para a terra, com voz forte disse: Penitência, Penitência, Penitência! E vimos n’uma luz emensa que é Deus: “algo semelhante a como se vem as pessoas n’um espelho quando lhe passam por diante” um Bispo vestido de branco “tivemos o pressentimento de que era o Santo Padre”.
Vários outros Bispos, Sacerdotes, religiosos e religiosas subir uma escabrosa montanha, no cimo da qual estava uma grande Cruz de troncos toscos como se fôra de sobreiro com a casca; o Santo Padre, antes de chegar aí, atravessou uma grande cidade meia em ruínas, e meio trémulo com andar vacilante, acabrunhado de dôr e pena, ia orando pelas almas dos cadáveres que encontrava pelo caminho; chegado ao cimo do monte, prostrado de joelhos aos pés da grande Cruz foi morto por um grupo de soldados que lhe dispararam vários tiros e setas, e assim mesmo foram morrendo uns trás outros os Bispos, Sacerdotes, religiosos e religiosas e varias pessoas seculares, cavalheiros e senhoras de várias classes e posições. Sob os dois braços da Cruz estavam dois Anjos cada um com um regador de cristal em a mão, n’êles recolhiam o sangue dos Mártires e com êle regavam as almas que se aproximavam de Deus.”

A mensagem que fica e continua sendo atual até mesmo nos dias de hoje é que Nossa Senhora de Fátima veio nos lembrar que Deus existe, nos ama e pode nos salvar desse mundo devastado pela guerra e pela fome. Devemos ter fé e sempre lembrar de suas palavras quando tudo parecer perdido ou sem solução.

Oração a Nossa Senhora de Fátima

Virgem Santíssima,
transbordante da mais pura alegria 
pela presença em vós do Verbo Divino Encarnado,
fazei com que, imitando na terra a pureza de vossa Anunciação,
a caridade de vossa Visitação a Santa Izabel,
amor terno a Jesus recém-nascido no presépio, 
a humilde obediência com a qual vos apresentastes
no templo de Jerusalém,
possamos merecer também, como vós,
pela solicitude constante em buscarmos a Jesus durante a vida, encontrá-lo definitivamente no templo de Sua Glória Eterna.
Amém.

Portal do Helvecio
Leia Mais...

Familiares, amigos e milhares de fãs comparecem ao velório de Belchior em Fortaleza

Governador Camilo Santana, prefeito Roberto Cláudio e fãs fizeram homenagens ao cantor no Centro Cultural Dragão do Mar


governador do Ceará, Camilo Santana, visitou na noite desta segunda-feira (1º) o Centro de Cultural Dragão do Mar, em Fortaleza, onde é velado o cantor Belchior, morto neste fim de semana no Rio Grande do Sul. O local ficará aberto para visitação de fãs, amigos e familiares até a manhã desta terça. Segundo Camilo Santana, mais de cinco mil pessoas já passaram pelo local.
"É um poeta que fala muito de liberdade, da juventede que sonha, que tem muita energia e luta por dias melhores. Além do grande poeta que era, ele usava a sua letra para lutar por um mundo melhor. E viver um mundo melhor, porque a gente sonha, mas a gente quer viver esse mundo melhor", disse o governador. "Inspirou muita gente a sonhar, viver e lutar", completou.
O ex-governador do Ceará e ex-ministro Ciro Gomes, em visita o local, relembrou a amizade que teve com o cantor na juventude. "É um camarada vocacionado para poesia. Eu conheci a profundidade da sua poética, sintonizada no tempo. É um filósofo poetando como muito raramente vai se achar na língua portuguesa. Ninguém interpretará jamais o Ceará, os brasileiros, os jovens, como Belchior. É imortal. "
Mais cedo, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, afirmou que Belchior cantou os "valores de Fortaleza". "Grande parte da história de Fortaleza é cantada por Belchior. Quantas músicas de Belchior não tem os sabores, os valores da cidade de Fortaleza cantada pela sua poesia. Belchior era um poeta, um músico, um compositor, com muita cultura, para o nosso privilégio, e com sucesso para muito além da fronteira do nosso Ceará. Cabe a nós agora, com homenagens, celebrarmos a vida e a obra de Belchior."
O corpo partiu de Sobral, cidade natal do artista, e chegou à capital cearense por volta das 12h30, seguindo no carro do Corpo de Bombeiros por ruas da capital até o Centro Dragão do Mar. O cortejo passou por avenidas como Luciano Avenida Luciano Carneiro, Treze de Maio, Pontes Vieira, Desembargador Moreira e Abolição.
Desde cedo, há uma longa fila no local, com encontro de amigos, música, e fãs que viajaram de outras cidades para a despedida do ídolo. O caixão foi conduzido pela Polícia Militar, que prestou uma homenagem ao cantor na chegada ao local. Durante o trajeto, os fãs cantaram e aplaudiram. Até o início da noite desta segunda, cerca de três mil pessoas passaram pelo local.

Velório em Sobral

Fãs fazem fila para a despedida do cantor cearense Belchior
Fãs fizeram fila para chegar ao palco do teatro e se despedir do cantor, ao som de suas músicas executadas por músicos cearenses. Antes das 6h, eles já esperavam o início do velório na praça em frente ao teatro, decorado, na fachada, com imagens do rosto do Belchior e um de fragmento de uma de suas músicas. Seis familiares do artista, de Fortaleza, participaram da cerimônia, além da mulher Edna Prometheu. Moradores também foram receber o corpo no aeroporto da cidade e acompanharam o carro do Corpo de Bombeiros até o teatro.

Causa da morte

Belchior foi encontrado morto em casa ontem, em Santa Cruz do Sul (RS), aos 70 anos. Ele vivia na cidade de 126 mil habitantes do Vale do Rio Pardo, a cerca de 150 km de Porto Alegre, com a mulher, que o encontrou morto. Ela disse à polícia que Belchior não tinha problemas nem tomava medicamentos. Ele se sentiu mal na noite de sábado, se queixou de muito frio à esposa e disse que ia descansar no sofá da sala, que ele usava para fazer suas composições, segundo vizinhos.
Segundo amigos, o artista vivia há quatro anos em Santa Cruz do Sul - dos quais cerca de dois anos na casa onde morreu, cedida por um amigo. Belchior continuava compondo, embora não tivesse planos de fazer shows ou gravar discos, e traduzia suas canções e obra de Dante Alighieri. O Governo do Ceará e a Prefeitura de Fortaleza decretaram luto oficial de três dias pela morte de Belchior.
Análise preliminar indica que o cantor cearense morreu em razão do rompimento da artéria aorta, segundo a delegada Raquel Schneider. Schneider falou com o médico do IML da cidade de Cachoeira do Sul, responsável pela necropsia em Belchior. De lá, seu corpo foi levado para Venâncio Aires para ser embalsamado.

Trajetória

Artistas e amigos agradecem e fazem homenagens a Belchior
Na infância no Ceará, Belchior estudou piano e música coral, e trabalhou no rádio em sua cidade natal. Seu pai tocava flauta e saxofone, e sua mãe cantava em coro de igreja. Mudou-se em 1962 para Fortaleza, onde estudou Filosofia e Humanidades. Também chegou a estudar medicina, mas abandonou o curso em 1971 para se dedicar à música.
Começou apresentando-se em festivais pelo Nordeste. Depois do sucesso de "Mucuripe", mudou-se para São Paulo, onde compôs trilhas sonoras para filmes e passou a fazer shows maiores e aparições em programas de televisão. Em 1974, lançou seu primeiro disco, "A palo seco", cuja música título se tornou sucesso nacional e ganhou versões ao longo da história, como a de Oswaldo Montenegro e da banda Los Hermanos.
Outros artistas também regravaram sucessos de Belchior, entre eles Roberto Carlos ("Mucuripe") e Erasmo Carlos ("Paralelas"), Engenheiros do Hawaii ("Alucinação"), Wanderléa ("Paralelas") e Jair Rodrigues ("Galos, noites e quintais"). Elis Regina foi uma de suas maiores intérpretes: além de "Como nossos pais", gravou "Mucuripe", "Apenas um rapaz latino-americano" e "Velha roupa colorida".
Em 1982, o cantor lançou "Paraíso", que tem participações dos àquela época ainda jovens artistas Guilherme Arantes, Ednardo Nunes, Jorge Mautner e Arnaldo Antunes. Fundou sua própria gravadora e produtora, a Paraíso Discos, em 1983. Ao longo da carreira, Belchior teve mais de 20 discos lançados.

G1/Portal do Helvecio
Leia Mais...